População adere ao programa “São Luís, Cidade Jardim”

Com a proposta de participação popular, a iniciativa está sendo abraçada por empresas privadas e diversos segmentos da sociedade.
Com a proposta de participação popular, a iniciativa está sendo abraçada por empresas privadas e diversos segmentos da sociedade.

A Prefeitura de São Luís lançou no mês de outubro o programa “São Luís, Cidade Jardim”, um macroprograma de intervenção paisagística, idealizado pela gestão do prefeito Edivaldo, para transformar os espaços públicos da capital em locais ajardinados e ambientalmente aprazíveis. Com a proposta de participação da sociedade, a iniciativa está sendo abraçada por empresas privadas e diversos segmentos da sociedade em geral.

“O programa vem exatamente com a proposta de promover iniciativas que melhorem os aspectos ambientais e paisagísticos da nossa cidade e estimulem nos moradores o espírito de pertencimento a São Luís”, explica Luís Carlos Borralho, presidente do Instituto Municipal de Paisagem Urbana (Impur), órgão responsável pela coordenação do programa.

O “São Luís, Cidade Jardim” conta com oito eixos. No eixo Jardim da Minha Rua, por exemplo, a Igreja Maranata está adotando uma praça no bairro do Turu. O projeto passa por avaliação do Impur e contará com estrutura de esporte, lazer e prática de atividades físicas ao ar livre.

“A praça irá contemplar diversos espaços de lazer, como praça de brinquedos, praça com equipamentos para prática de atividades físicas, pista de caminhada, uma quadra poliesportiva, quadra de areia, área verde e estacionamento, que atenderá o comércio no local que é intenso”, explicou o presidente da Fundação Maranata, Djalma Blume.

De acordo com a posposta, os vizinhos e membros da igreja serão incentivados a adotar uma árvore. Além de amenizar a temperatura na região, a praça irá atender a comunidade, empresas da região e assegurará qualidade de vida a toda população do entorno.  O investimento para a execução das melhorias na praça corresponde a R$ 600 mil e a obra deve ser concluída em três anos.

Outros parceiros do projeto são as escolas COC e Yázigi, que adotaram o canteiro central na rotatória da Avenida dos Holandeses com a Avenida Avicênia, no Calhau. “Através da transformação da paisagem urbana, teremos uma série de propostas que contarão com a participação de nossos alunos, desde o plantio das mudas, até o cultivo e preservação da área. Isso possibilitará noções sobre a responsabilidade socioambiental como algo cabível a todos nós. É o que esperamos deixar como legado aos nossos alunos”, explicou a proprietária das escolas COC e Yázigi, Lou Marques. Segundo ela, o “São Luís, Cidade Jardim” é uma alternativa de transformação positiva para a cidade ficar mais bela, mais agradável e mais bem cuidada.

Em outro eixo do programa, o Jardim na Minha Casa, a Prefeitura vai estimular a população à jardinagem doméstica, além de reconhecer as melhores práticas, independente de condições sociais e econômicas. A proposta agradou a aposentada Ana Tereza Martins Lima, que vê com otimismo o início do programa, e compreende que o aumento do número de árvores amenizará o clima da cidade.

“Eu e meu marido sempre cultivamos áreas verdes na nossa casa. Ele, como engenheiro, sempre defendeu a harmonização da construção com o verde e isso ele trouxe para nossa casa. Pretendo utilizar exatamente esses espaços que ele destinou na lateral e na frente da casa, além de algumas plantas no quintal como temperos e ervas”, explicou Tereza Martins Lima.

Já a funcionária pública Erotildes de Sousa Melo adorou o projeto e pretende iniciá-lo no condomínio onde mora, no bairro da Camboa. “Gostei muito do projeto e vou começar a fazer na minha casa e na casa das minhas irmãs, no pouco espaço que temos vamos fazer o jardim suspenso com garrafa pet e vamos tentar implantá-lo também em nosso condomínio”, contou.

A meta do São Luís Cidade Jardim é de até o final da gestão contar com 20 rotatórias adotadas, assim como 40 praças e 30 km de canteiro central em avenidas e o plantio de 1 milhão de árvores. “Simbolicamente, é uma árvore para cada habitante da cidade, o que será feito por meio do envolvimento, da articulação e sensibilização junto à sociedade de modo geral”, frisou o presidente do Impur.

Luís Carlos Borralho explicou que o plantio de mudas está articulado com o eixo Minha Árvore, que vai incentivar que cada pessoa adote uma árvore, cuide dela e acompanhe o seu crescimento. Para sensibilizar a população, serão realizados atos de plantio em parceria com empresas, escolas e igrejas, entre outras instituições.

Outros eixos do programa são o Jardim da minha Escola, Jardim da minha Empresa, Jardim da minha Praia, Portais da minha Cidade e Minha Calçada. Todas as ações serão realizadas pela Prefeitura em parceria com empresas privadas, instituições de diversos segmentos e o envolvimento da sociedade em geral, com a coordenação do Impur, além do envolvimento de outros órgãos municipais.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.