Polícia faz perícia em casa onde menina de 12 anos foi vítima de estupro no Rio

Policiais sairão da Cidade da Polícia em direção à Baixada Fluminense. Um dos suspeitos, um menor de idade, se entregou na terça-feira.

A Delegacia de Atendimento à Criança e Adolescente Vítima (Dcav) vai realizar, na manhã desta quinta-feira (11), uma operação para periciar a casa onde ocorreu o estupro de uma jovem de 12 anos na última semana.

Nesta terça-feira, um dos suspeitos, um menor de idade, se entregou no Fórum de Madureira junto com a mãe. Posteriormente, ele foi encaminhado à DCAV. O menor suspeito foi reconhecido pela vítima.

Um dos suspeitos de participar do estupro coletivo de uma menina de 12 anos na Baixada Fluminense chega à Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (Dcav), na Lapa, centro do Rio de Janeiro (Foto: FÁBIO MOTTA/ESTADÃO CONTEÚDO)

Um dos suspeitos de participar do estupro coletivo de uma menina de 12 anos na Baixada Fluminense chega à Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (Dcav), na Lapa, centro do Rio de Janeiro (Foto: FÁBIO MOTTA/ESTADÃO CONTEÚDO)

Depoimento

A adolescente de 12 anos fez exame de corpo de delito e prestou depoimento no Caac, no Centro, na tarde desta segunda-feira (8). A delegada Juliana Emerique, da Delegacia da Criança e Adolescente Vítima, disse que nesse momento o importante é proteger a adolescente.

“Ela está abalada como uma adolescente de 12 anos, mas está aqui firme. Temos que esperar o tempo da vítima. Foi tudo um grande susto”, explicou sobre o depoimento da menina nesta segunda.

A delegada disse ainda que a vítima contou ter ficado por cerca de uma hora na mão dos criminosos e que o crime aconteceu há três semanas. A polícia já sabe que os criminosos são da mesma comunidade onde vive a adolescente a família.

“Podem ser três menores e um maior de idade, mas ainda é prematuro”, explicou a delegada sobre as investigações.

Estiveram na Dcav nesta segunda (8) o pai, a mãe e mais pessoas do convívio da menina. A polícia informou ainda que o Facebook comunicou que vai retirar os vídeos que foram compartilhados. A delegada disse que vai ouvir outras pessoas e policiais estão em campo para encontrar novos dados.

A família da vítima aceitou entrar no Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte (PPCAM), segundo a Secretaria de Estado de Direitos Humanos e Políticas para Mulheres e Idosos.

O programa foi oferecido à família da vítima quando ela e seus parentes foram ouvidos na Delegacia da Criança e Adolescente Vítima. A menina será encaminhada para um local sigiloso onde será fornecida à família assistência jurídica, social e psicológica.

 Menor vítima é levada pela delegada responsável pelo caso. Ela está sob proteção de programa do Governo do Estado (Foto: Alba Valéria Mendonça/ G1)

Menor vítima é levada pela delegada responsável pelo caso. Ela está sob proteção de programa do Governo do Estado (Foto: Alba Valéria Mendonça/ G1)

FONTE: GOVERNO DO ESTADO

 

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.