Policia descobre merenda escolar sendo vendida em Churrascaria de Jundiai ((SP)

A Polícia Civil encontrou nesta terça-feira (26) alimentos que faziam parte da merenda de estudantes de Jundiaí (SP) em uma churrascaria da cidade. Durante o flagrante, os policiais encontraram quase 30 quilos de latas de feijão cozido e temperado e carne em conserva armazenada na despensa do restaurante.

Além dos alimentos da merenda, os policiais ainda encontraram mais aproximadamente 100 kg de carne armazenados de maneira inadequada. A Vigilância Sanitária também foi acionada para avaliar as condições dos produtos.

O Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cereste) também foi chamado para avaliar as condições de trabalho dos funcionários.

Ainda segundo informações da polícia, o proprietário da churrascaria, que foi preso e levado para o Centro de Dentenção Provisória em Campo Limpo Paulista (SP), vai responder por receptação e por manter no restaurante mercadoria imprópria para o consumo.

O próximo passo da policia será rastrear as latas de alimentos para saber de onde elas foram desviadas. Além disso, todos os funcionários das unidades escolares identificadas serão chamados para prestar esclarecimentos.

“Ocorreu o crime de receptação qualificada e também estamos avaliando a questão dos alimentos impróprios para consumo encontrados no local. A pena, de ambos os crimes, é de 13 anos”, afirmou o delegado de polícia Luís Carlos Duarte.

Em nota, a Vigilância Sanitária informou que o local foi interditado após os agentes terem encontrado uma grande quantidade de alimentos vencidos.

Já a Secretaria da Educação do Estado informa que a merenda de Jundiaí é descentralizada, ou seja, a pasta repassa a verba, por meio de convênio com o município, que fica responsável pela compra e distribuição dos alimentos. Portanto, o estado não fornece merenda pronta ao município e a origem desses alimentos está sendo investigada pela polícia. A Secretaria lamenta o fato e esclarece que está colaborando com a investigação tendo, inclusive, designado uma equipe para Jundiaí, na tentativa de identificar, por meio do número do lote, o município de origem do produto. Esclarece, ainda, que uma vez identificados os suspeitos, todas as sanções administrativas serão adotadas.chu

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.