Polícia conclui inquérito e indicia 4 por morte e esquartejamento de jovem

Outro suspeito foi indiciado, mas morreu em confronto com a polícia.
Um já foi preso e outros três continuam foragidos, segundo delegado.

Homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver e organização criminosa, foram os crimes imputados aos suspeitos de matar o jovem Gabriel Nunes da Silva, de 17 anos, que foi achado esquartejado no último dia 6 de dezembro.

Quatro suspeitos foram indiciados, sendo que um já foi preso e outros três estão foragidos. O corpo de Silva foi encontrado no Ramal do Zezé, no bairro Belo Jardim II, em Rio Branco.

Um outro rapaz havia sido indiciado pelo crime, segundo o delegado de Polícia Civil, Rêmulo Diniz, mas morreu durante um confronto com a polícia no último dia 29 de dezembro, no km 8 da Estrada do Quixadá, zona rural da capital. O caso ocorreu, de acordo com o Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar (Bope), durante cumprimento de mandados de prisão na região.

O delegado afirmou que tanto a autoria, quanto a causa do crime foram concluídas no inquérito. Diniz não quis divulgar os nomes dos suspeitos e informou que somente após ouvi-los é que a polícia vai informar suas identidades.

“O motivo foi essa rivalidade entre as facções. Um deles foi preso e outros três, sendo um menor de idade, estão foragidos, todos com ordem de prisão em aberto. Agora a polícia faz buscas”, disse.

Entenda o caso
Um vídeo, em que aparecia parte da cena de um jovem sendo esquartejado, passou a circular nas redes sociais, no último dia 5 de dezembro em Rio Branco, e a Polícia Civil iniciou as investiações. Na época, o responsável pela Delegacia de Homicídios e Proteção de Pessoas (DHPP), delegado Roberth Alencar, informou que a vítima se tratava de Gabriel Nunes da Silva, de 17 anos, que foi reconhecido pelos própios pais nas imagens.

Anacleto dos Santos Moreira, 18 anos, gravou o vídeo, segundo a polícia  (Foto: Quésia Melo/G1)

Suspeito Anacleto Moreira, de 18 anos já foi preso

O corpo de Silva foi encontrado enterrado no dia 6 de dezembro no Ramal do Zezé, no bairro Belo Jardim II, em Rio Branco. A Polícia Civil prendeu Anacleton dos Santos Moreira, de 18 anos, que confessou em depoimento ter gravado o vídeo.

Nas imagens, feitas por Moreira, um rapaz aparecia segurando a cabeça da vítima e depois mostrava o corpo já todo cortado.

O homem jogava a cabeça e chutava partes do corpo.Ainda no vídeo, os criminosos escreveram no corpo da vítima o número 13, que, segundo a polícia, se refere a uma organização criminosa que atua no estado.

Quando foi preso, o suspeito teria confirmado que três pessoas participaram do esquartejamento e depois mostrou à polícia a localização do corpo. Na época, segundo o delegado Alencar, cerca de 15 agentes, foram às ruas à procura dos criminosos.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.