Pastor evangélico sequestra e estuprar menina de 12 anos

Um indivíduo foi preso pela polícia acusado de ter sequestrado e violentado sexualmente uma criança, na cidade de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador. O homem foi identificado como Isaías Arcanjo dos Santos, 29 anos, que é um pastor evangélico. Para a polícia, ele é o principal suspeito de ter sequestrado e mantido relações sexuais com uma menina de apenas 12 anos.

Conforme informações repassadas pela polícia, o acusado sequestrou a vítima na quarta-feira, 7 de dezembro de 2016, e foi localizado pela polícia na última sexta-feira (20) em uma fazenda localizada na zona rural da cidade de Nazaré, cerca de 200 quilômetros de Camaçari, na Bahia. Entretanto, a divulgação da prisão do estuprador foi divulgada pela polícia para os meios de comunicação apenas na segunda-feira (23).

De acordo com a delegada Danille Monteiro, da 26ª Delegacia Territorial (DT), em Vila de Abrantes, o acusado conheceu a vítima durante os cultos que ela frequentava junto com a sua mãe, que era realizado pelo próprio acusado há cerca de dois meses, na cidade de Camaçari. Ainda de acordo com a delegada, durante esse tempo, Isaías começou a frequentar a residência da família da menina. Ele mantinha relações sexuais com a criança e teria levado a vítima após ganhar a confiança dos pais.

O homem não resistiu à prisão e ao ser preso pela polícia, o mesmo se identificou como sendo um pastor evangélico. Conforme consta no depoimento da vítima, ela confirmou para a polícia que tinha relações sexuais com o homem desde que ele a levou para a cidade de Nazaré. Após o seu depoimento, ela foi levada para o Instituto Médico Legal (IML) da cidade, onde passou por exames para comprovar os abusos sofridos pelo meliante.

Após os procedimentos médicos, ela foi devolvida para os seus familiares. Já o suspeito prestou o seu depoimento na delegacia da cidade e em seguida foi autuado em flagrante pelos crimes de sequestro triplamente qualificado e estupro de vulnerável. Em seguida, foi encaminhado para um presídio onde ficará à disposição da Justiça. #Crime #Investigação Criminal #Casos de polí

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.