Passageiros aprovam instalação da rota de ferryboat que interligará a capital ao leste maranhense

 

A novidade da implantação da nova linha de ferryboat, que ligará São Luís à Icatu, agradou os maranhenses. A expectativa é que o novo trajeto já esteja disponível aos passageiros ainda no segundo semestre de 2017. O tempo de viagem, que dura uma média de duas horas nas estradas, passará a ser feito em 30 minutos com o transporte aquaviário, do Quebra Pote em São Luís até Icatu, ou no sentido contrário.

Essa nova rota proporciona mobilidade aos maranhenses e amplia os serviços de ferryboats no estado, que atualmente funcionam nos terminais da Ponta da Espera, em São Luís, e no Cujupe, em Alcântara. O projeto do Governo do Maranhão, por meio da Agência Estadual de Transporte e Mobilidade Urbana (MOB), impulsionará o acesso de turistas à região dos Lençóis Maranhenses, como Morros, Barreirinhas, Santo Amaro, entre outros pontos turísticos do estado incluídos na Rota das Emoções. O roteiro turístico contempla destinos do Maranhão, Piauí e Ceará.

(Foto: Divulgação)

(Foto: Divulgação)

Maria Dilvanir Silva Rocha, passageira que embarcava da rodoviária de São Luís, na manhã desta sexta-feira (13), para o município de São Benedito do Rio Preto, a 240 quilômetros da capital, falou sobre a movimentação turística que o projeto trará aos municípios da região dos Lençóis. “É bom demais a instalação do novo ferry, pois vai levar mais gente para aquela área que é muito bonita e tranquila, e agora ainda vai ficar muito mais movimentada. A viagem será mais rápida. Se ganha mais tempo e vai direto”, comentou.

O lavrador Carlos Fernandes Chaves, que esperava o ônibus na rodoviária da capital, e tinha como destino o município de Pirapemas, conta que o meio de transporte aquaviário é seguro e que acredita ser interessante a criação de novas rotas por meio de políticas públicas. “Eu acho interessante novas opções de transportes para usuários, pois quanto mais surgem, melhor fica o serviço, já que há necessidade para essa área. Eu creio que a embarcação seja bem-vinda à população que reside naquela região. Eu mesmo sei que a opção do ferry é muito segura, pois tive a oportunidade de trabalhar uma época no município de Bequimão e sempre viajava. Você percebe que quem vai para o lado da Baixada Maranhense quase nunca vai pela estrada, prefere ir de ferry”, comparou o passageiro.

Naura Mota, profissional de serviços gerais, que embarcou na manhã desta sexta-feira para Viana, na Baixada Maranhense, conta que é uma grande melhoria. “Além de ser muito mais rápido é mais seguro. Se for no caso de viajar para um local que tenha a opção de ir de ferrybaoat ou de ônibus, vou de ferry. Essa foi uma grande conquista para a nossa população”, disse.

(Foto: Divulgação)

(Foto: Divulgação)

O motorista de táxi Itaã Gomes Costa vibrou com a novidade. “Não tem coisa melhor. Só o fato da gente ter esse serviço, que facilita a nossa vida, evitando pegar estrada, o Governo está de parabéns. Como esse Campo de Perizes, que está muito perigoso, colocar esse ferryboat para Icatu foi uma solução acertada. Essa ação vai beneficiar também os moradores que tem seus próprios negócios, como pesca, que já traz o peixe dentro do ferry, no caminhão, ao invés de ter que dar essa volta toda na BR. Muito bom mesmo!”, relatou.

Antes que o projeto fosse anunciado pelo Governo do Maranhão, uma série de avaliações técnicas realizadas pela equipe da MOB foram desenvolvidas, chegando a opção viável para a instalação do atracadouro em São Luís, que ficará na baía da região da zona rural, devido à profundidade do canal e da localização geográfica do município de destino, Icatu. “As condições de maré, como a boa profundidade e um mar menos agitado, indica que é melhor sair do Quebra Pote. A linha é importante porque quem quiser ir para Barreirinhas economizará bastante tempo. A duplicação da BR-135 colaborará muito, mas esse tráfego já é muito pesado, então um percurso que é de São Luís até Morros, no qual tem 100 quilômetros, nós estamos levando duas horas para fazer isso”, comentou o presidente da MOB, Arthur Cabral.

O presidente relata que parte dos estudos de engenharia já foi concluída. “Estamos finalizando a engenharia para viabilizar o acesso para os dois lados. Os estudos de engenharia de acesso terrestre que envolvem rampas e terminais de passageiros estão em andamento”, ressaltou.

Fonte: Governo do Estado

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.