Parlamentar comenta caso envolvendo goleiro Bruno Fernandes

O deputado João Batista(PP) ocupou a tribuna nesta terça-feira (13) para comentar o caso do goleiro Bruno, do Flamengo-RJ, que está sendo acusado de participar do sequestro e assassinato brutal da mãe do filho dele, Eliza Samúdio. O parlamentar disse que ao assistir as reportagens veiculadas sobre o caso, o que mais lhe chama a atenção não é o próprio Bruno ou os policiais que o conduziram, na matéria sobre a prisão do goleiro. Para João Batista, o que é estarrecedor é a expressão de sede de vingança, nos rostos dos populares.

“Eu fico assustado quando vejo aqueles rostos anônimos com tanta fúria e fico imaginando o que ocorreria com aquele conduzido se nós tirássemos dali os policias que fazem a condução daquele goleiro, o que será que aconteceria com ele? Tenho impressão de que ele seria trucidado por pessoas comuns”, disse.

O parlamentar reiterou que essas manifestações de fúria são perigosas e podem acontecer em qualquer lugar. Ele citou inclusive um caso ocorrido em Imperatriz há cerca de oito anos, quando um pai matou uma criança de um ano. O crime, que teve a participação da namorada do pai da vítima, causou revolta popular e chocou o Brasil inteiro.

João Batista disse que não sabe onde vamos parar com tanta violência e atribuiu à mídia a capacidade de despertar em muitas pessoas a sede de vingança por um crime não cometido por elas.

“A mídia faz com que as pessoas larguem aquilo que elas mais gostam, larguem o filho em casa, larguem o marido, larguem até os afazeres que elas apreciam, para tentar arrancar um pedaço de alguém que não fez mal algum a elas. Claro que fez um mal tremendo, digamos até à sociedade, mas não fez aqueles que saem de suas casas para tentar trucidar o Bruno ou qualquer outro que se envolva num crime tão cruel quanto este que ocorreu em Minas Gerais”, encerrou.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.