Palmeiras reforça onda de colombianos no Brasil

O tango ainda é majoritário entre os estrangeiros no futebol brasileiro, mas perde cada vez mais espaço para a cúmbia. Com a chegada do atacante Miguel Borja ao Palmeiras, anunciada na noite de quinta-feira através das redes sociais do clube paulista, os times da Série A já somam 13 jogadores colombianos em 2017, segundo dados do site “Transfermarkt”.

O número põe a Colômbia como segundo mais importante ponto de origem de atletas gringos no Brasil. Trata-se de um recorde na série histórica elaborada pelo “Transfermarkt”, desde 2005. A liderança do ranking cabe à Argentina, que tem por enquanto 21 jogadores em clubes da Série A. Há cinco anos, a diferença entre os dois países era muito maior: enquanto o número de argentinos no futebol brasileiro também chegava a 21 atletas, havia somente três colombianos.

Naquela época, a Colômbia aparecia atrás de Paraguai e Uruguai na lista de países com mais atletas no Brasil. O aumento do fluxo de colombianos coincide com o salto de qualidade do futebol do país, que havia ficado fora da Copa do Mundo de 2010 e, com uma equipe renovada, chegou ao Mundial de 2014 como sensação e candidata a surpresa – foi eliminada nas quartas de final pelo Brasil, vendendo caro a derrota.

Em 2017, os 13 colombianos em clubes da Série A se dividem entre nove clubes. Alguns não são caras novas, como o lateral-esquerdo Armero, que já atuou pelo Palmeiras e assinou neste ano com o Bahia, além do atacante Stiven Mendoza, do Corinthians, e do meia Cárdenas, no Vitória. Há também quem tenha chegado em 2016, ano que detinha o pico anterior de colombianos na Série A, com 12 jogadores: são os casos do zagueiro Mina, do Palmeiras, e do atacante Copete, do Santos.

Entre os reforços deste ano, Borja é o que tem maior valor de mercado, avaliado em 1,75 milhões de euros segundo o “Transfermarkt”. A onda colombiana também ganha força no Rio. O Flamengo, que já tinha o volante Cuéllar, contratou o atacante Berrío. Já o Vasco anunciou na quinta-feira a contratação do atacante Andrés Escobar (veja a lista completa no fim da matéria).

ECOS DOS ANOS 90

Antes do movimento atual, o Brasil já havia experimentado um fluxo considerável de jogadores colombianos na década de 1990 e início dos anos 2000. Naquela época, assim como hoje, o crescimento do mercado de atletas da Colômbia seguia lado a lado com o bom desempenho da seleção nacional.

A geração que disputou as Copas do Mundo de 1990, 1994 e 1998, liderada por jogadores icônicos como o meia Valderrama e o goleiro Higuita, tinha atletas com passagens pelo Brasil, como o volante Freddy Rincón, que jogou pelo Corinthians, e o atacante Faustino Asprilla, que atuou por Palmeiras e Fluminense.

Já a equipe campeã da Copa América de 2001 era lidera por Aristizábal, centroavante que teve passagens por São Paulo, Santos e Cruzeiro.

VEJA A LISTA DE COLOMBIANOS EM CLUBES DA SÉRIE A:

Palmeiras: Miguel Borja (atacante) e Yerry Mina (zagueiro)

Flamengo: Cuéllar (volante) e Berrío (atacante)

Sport: Oswaldo Henríquez (zagueiro) e Reinaldo Lenis (meia)

Santos: Copete (atacante) e Vladimir Hernández (zagueiro)

Avaí: Salazar (zagueiro)

Bahia: Pablo Armero (lateral-esquerdo)

Corinthians: Stiven Mendoza (atacante)

Vasco: Andrés Escobar (atacante)

Vitória: Cárdenas (meia)

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.