Pai suspeito de matar a filha na frente dos netos após briga por dinheiro se entrega

Ex-cabo da Aeronáutica, Frederico Carneiro Soares, se apresentou no 89ºDP. Crime ocorreu na noite desta sexta (10) na casa da vítima na Zona Sul de SP.

O ex-cabo da Aeronáutica, Frederico Carneiro Soares, apontado como autor da morte da filha Maira Cintra Soares, se entregou à polícia no fim da manhã desta segunda-feira (13). Ele era procurado desde a noite de sexta-feira (10), data do crime. O crime teria sido motivado por uma disputa de herança.

Acompanhado por seu advogado, Soares se entregou no 89º DP, no Portal do Morumbi, por volta das 11h.

O crime ocorreu por volta das 21h de sexta na Rua Olímpio Rodrigues da Silva, na região da Vila Sônia. Segundo a polícia, o pai de Maira Cintra Soares, de 40 anos, foi até a casa da vítima e os dois discutiram.

Ainda de acordo com a polícia, durante a briga, o pai atirou na cabeça da filha na frente de três filhos da vítima. O socorro foi acionado, mas ela morreu no local. Após o crime, o pai, que estava acompanhado da atual mulher, fugiu.

O corpo de Maira Cintra Soares foi enterrado na tarde deste sábado (11), no Cemitério da Paz.

Motivação

A polícia acredita que o crime tenha sido motivado por dinheiro. De acordo com advogados da família, o irmão de Maira tem problemas mentais e recebe uma pensão da mãe, que morreu há mais de 30 anos. O pai tinha a tutela do filho e ficava com o dinheiro.

Recentemente, porém, Maira conseguiu a tutela do irmão. Com isso, segundo relatos, o pai perdeu o controle do dinheiro, o que teria motivado a briga.

O ex-cabo e a namorada, Silmara Brandi, foram até a casa onde morava a filha dele discutir o caso. Houve uma briga, que foi presenciada por vários vizinhos. “Eu estava aqui em casa assistindo televisão, escutei um barulho de discussão”, disse o vizinho Mauro Roberto Iusim.

Ele disse ter presenciado o disparo. “No meio do caminho eu vi ele pegar e dar o tiro nela. Eu vi o primeiro tiro. Eu peguei, comecei a recuar, voltar para trás. O cara estava atirando, fiquei com medo e escutei mais dois tiros. Cheguei aqui na frente do meu portão, que estava aberto, ele olhou para mim, virou com a arma para mim e apontou a arma. Pulei para dentro de casa, corri e me tranquei lá dentro.”

Vídeo

Em um vídeo postado no Facebook, em agosto de 2016, a vítima conta que tinha desavenças com o pai e o motivo da briga seria porque ele estava interessado na herança deixada por sua mãe. Na Justiça, há processos abertos pela disputa da casa da vítima, que também foi deixada pela sua mãe, avaliada em R$ 200 mil.

No vídeo, Maira relata que ela e o irmão sofreram maus tratos e foram internados em colégios internos no Interior de São Paulo, desde que a sua mãe morreu, quando ela tinha 8 anos de idade.

Na ocasião, seus pais já estavam separados e ele vivia com outra mulher, mas o divórcio não havia sido oficializado. “Ele tirou eu e meu irmão da família da minha mãe à força, proibindo visitas e qualquer tipo de contato. E, de caso pensado pegou eu e meu irmão para ter mais direitos que ele tinha como viúvo”, disse. Segundo o vídeo, ele tinha a intenção de ficar com os bens deixados pela ex-mulher para os filhos.

Maira diz que o pai recebia a pensão da mãe e queria uma casa deixada como herança para os filhos. Ela conta que ela e seu irmão foram colocados em colégios internos. Segundo ela, aos 16 anos, o irmão ficou desorientado e foi internado em um hospital psiquiátrico.

“Meu pai resolveu que queria a casa e ficou muito indignado. Ele fez várias tentativas de tirar a gente da casa, eu e meu irmão, inclusive colocando um segurança um dia e falando que nós éramos indigentes. Só que na delegacia foi provado que nós éramos herdeiros e filhos dele. Então ele não conseguiu tirar a gente daqui”, afirmou na ocasião.

Maira Cintra Soares, de 40 anos, em vídeo do Facebook (Foto: Reprodução/Facebook)

Maira Cintra Soares, de 40 anos, em vídeo do Facebook (Foto: Reprodução/Facebook)

 FONTE: G1

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.