Neymar não será preso, garante assessoria

Assessoria do Neymar garante que jogador não será preso
 

 O caso Neymar parece não ter fim. Na última terça-feira, o recurso contra as acusações das corrupções relacionadas à transferência do atacante do Santos para o Barcelona foi negado e Neymar e seus envolvidos terão de enfrentar um processo judicial. Em defesa do camisa 10 da Seleção Brasileira, sua assessoria de imprensa emitiu um comunicado tranquilizando de que o atleta não será preso.

Neymar só está passando por esta situação com a Justiça Espanhola, pois o grupo de investimento brasileiro DIS, que foi dono de 40% dos direitos de transferência do brasileiro, afirma ter recebido menos do que deveria, na negociação do ex-atleta do Santos com o Barcelona, em 2013.

Naquele ano, Neymar foi vendido oficialmente por 17,1 milhões de euros (aproximadamente R$ 54,47 milhões), porém, a Audiência Nacional estima que o valor real da transição chegou em torno de 83 milhões de euros (aproximadamente R$ 269,26 milhões).

As investigações ocorrem, justamente, para desvendarem se Neymar, junto com o Santos, Barcelona e a N&N (empresa do pai do jogador) ocultaram esta quantia quando o atleta chegou ao Barça.

No comunicado oficial da assessoria de Neymar, os estafes voltam a afirmar o que o camisa 10 da amarelinha já havia dito em outro julgamento. De acordo com as partes, em 2011, quando o atleta santista assinou o contrato de preferência com o Barça, frustrando o livre comércio do mercado do futebol, sua única preocupação era em jogar futebol, sem tempo para analisar questões contratuais.

Sabe-se que a assinatura de Neymar nos contratos é verdadeira e que esta questão é inegável pela Audiência, porém, o jogador ainda deve explicações à Justiça para os próximos julgamentos.

Confiantes de que o processo se voltará para o lado do clube e do atleta, o estafe da estrela afirma: “Estamos seguros que no final do processo será reconhecido que não foi praticado nenhum crime, prevalecendo, sem dúvida, que qualquer atleta profissional, não só o Neymar, tem o sagrado direito de escolher onde quer trabalhar (…) Felizmente, sentimento não compartilhado pelo ganancioso Grupo DIS, o Atleta da Seleção Brasileira Neymar Jr. não será preso”.

Confira o comunicado oficial da assessoria do jogador na íntegra:

Em relação à notícia veiculada desde ontem acerca da decisão proferida pela Audiência Nacional, com a rejeição do recurso interposto pelas partes acusadas na Espanha pelo Fundo DIS, dentre elas o Atleta Neymar Jr. e as pessoas que o cercam, faremos breves esclarecimentos.

‘Tecnicamente a Audiência Nacional repetiu a decisão anterior, proferida no ano passado e amplamente divulgada, entendendo que, por ora, não deve excluir ninguém preliminarmente do processo, devendo os fatos e condutas serem analisados, as defesas apresentadas, as provas produzidas para, ao final, caso entendam que realmente não há crime, ser proferida uma sentença absolutória. Isto significa que não há neste momento nenhuma possibilidade de decretação de prisão de nenhuma das partes envolvidas’

Segundo a acusação do Ministério Público Espanhol, o Atleta Neymar Jr., seus pais e as empresas de sua titularidade, teriam cometido o crime de ‘corrupção de negócios’, pelos fatos ocorridos em 2011, principalmente por terem, junto com o FC Barcelona, frustrado o direito à livre concorrência no mercado do futebol. Para os especialistas na Espanha, contudo, não há crime, tanto que estão perplexos com as acusações, sugerindo categoricamente que ao final do processo, certamente haverá absolvição pela inexistência do crime tipificado pela acusação. Esta é a conclusão estampada no Jornal ’La Varguadia’, na edição de hoje em que advogados especialistas analisaram a decisão da Audiência Nacional e o consequente prosseguimento do processo:

‘Embora o processo esteja avançado, a acusação não deixa de produzir uma perplexidade genuína, especialmente para o delito em particular atribuído ao jogador: corrupção nos negócios. Este crime, introduzido na Espanha há alguns anos e com pouca tradição em nossos tribunais, destina-se principalmente a punir aqueles oficiais ou funcionários que são subornados por terceiros de prejudicar os interesses de sua própria empresa.’

‘É esse o caso, para citar um exemplo comum, de gestores que conseguem compensações financeiras para que suas empresas paguem aos fornecedores preços maiores do que os de mercado para adquirem determinados produtos ou serviços.’

‘Provavelmente os leitores estão se questionando qual é a relação deste crime com Neymar. De acordo com o promotor e com a Audiência Nacional, quando o jogador concordou em assinar com o Barcelona alguns anos antes do final do seu contrato com o Santos, frustrou com tal compromisso a expectativa do fundo de investimento DIS, que tinha uma porcentagem sobre seus direitos federativos, de promover um verdadeiro leilão entre os melhores clubes do mundo ao término do contrato do astro brasileiro.’

‘Assim, de acordo com a tese da acusação, o fato de que Neymar já estar comprometido de antemão com o Barcelona, impediu sua entrada no mercado de contratações quando adquiriu a liberdade contratual e reduziu a percentagem correspondente a DIS, causando uma perda financeira. Ainda que o jogador nunca teria concordado expressamente em permitir que tal leilão fosse realizado.’

‘O entendimento por trás desta acusação é que, quando um jogador cede os seus direitos totais ou parciais a uma terceira parte, é obrigado a aceitar um autêntico leilão em torno do seu futuro profissional, sem importar o desejo do jogador de querer jogar em ou não no clube que está disposto a pagar o preço mais alto.’

‘Sem ir mais longe, todos sabem que a transferência de Neymar ao Barcelona não foi por dinheiro – pois já poderia ter ido para outras equipes rompendo o seu compromisso com o Barça -, mas pelo o sonho de infância dele de jogar na sua atual em equipe.’

‘Segundo o procurador, a decisão de um jogador em escolher qual clube ele quer jogar não só pode assumir uma violação contratual, mas também implica em nada menos do que um crime real punível com prisão.’

‘E Neymar jamais foi diretor ou funcionário da DIS, o que parece um requisito básico para aplicar o crime de corrupção em empresas. Pensava que, felizmente, a escravidão havia sido abolida há muitos anos. Mas na leitura de alguns escritos forenses parece que não foi bem assim.’

Estamos seguros que no final do processo será reconhecido que não foi praticado nenhum crime, prevalecendo, sem dúvida, que qualquer atleta profissional, não só o Neymar, tem o sagrado direito de escolher onde quer trabalhar, independentemente da condição financeira oferecida, ou seja, como afirmado pelo advogado especialista, a escravidão acabou. Pensar em qualquer solução diferente é jogar no lixo todos os direitos e garantias fundamentais conquistados em um Estado Democrático de Direito, seja no Brasil, seja na Espanha.

Felizmente, sentimento não compartilhado pelo ganancioso Grupo DIS, o Atleta da Seleção Brasileira Neymar Jr. não será preso.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.