Museu do Reggae Maranhão é um dos destaques de exposição em São Paulo

Única casa deste tipo fora da Jamaica, o Museu do Reggae Maranhão tem ganhado destaque além das fronteiras do Estado. Um exemplo é a exposição “Jamaica, Jamaica”, no Serviço Social do Comércio (Sesc) na cidade de São Paulo. A mostra está na unidade da 24 de Maio do Sesc.

A exposição foi concebida pela Cité de La Musique Philharmonie de Paris e tem o Museu do Reggae Maranhense como um dos destaques.

A história do Museu do Reggae em São Luís tem sala dedicada na mostra desde o dia 15 de março, sendo vitrine para a divulgação da cultura e incentivo ao turismo no Maranhão. A programação vai até o dia 26 de agosto.

A exibição propõe uma viagem cronológica, além de apresentar o universo sonoro e cultural jamaicano, que ultrapassa as fronteiras físicas, tornando-se influência mundial e ponto importante na história da música. O acervo reúne desde peças de estúdio usadas por Bob Marley até jornais com notícias dedicadas ao tema.

Reggae no Maranhão 

Alguns dos primeiros registros da música jamaicana no Brasil vêm de São Luís. E por esse motivo, o diretor do museu maranhense, Ademar Danilo, esteve na mostra em São Paulo, onde dialogou com uma plateia de jornalistas e artistas locais, explicando o título ludovicense de Jamaica brasileira.

“Fui convidado a explicar como é esse fenômeno do reggae aqui no maranhão, que desperta muito interesse nas pessoas. O Museu do Reggae tem um impacto turístico muito favorável e positivo ao Estado. A imagem do nosso museu desperta a curiosidade das pessoas em conhecer o Maranhão, além de ser um importante espaço de divulgação para o turismo”, ressalta Ademar Danilo.

Museu

Mais de 12.000 pessoas já visitaram o Museu do Reggae no Maranhão em menos de 5 meses de funcionamento. O equipamento construído pelo Governo do Maranhão e administrado pela Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Sectur) é o primeiro do gênero no mundo, fora da Jamaica, e segue ganhando notoriedade no circuito nacional e internacional.

Repercussão

O equipamento cultural foi destaque em reportagens produzidas pela empresa de comunicação britânica BBC News, pela emissora chinesa CGTN, por jornais jamaicanos; além da imprensa nacional, como a revista Carta Capital, o jornal Estado de S. Paulo e a revista de bordo da empresa aérea GOL. “Estamos pautando diversos veículos de comunicação no mundo todo. Desde a BBC de Londres até a chinesa CGTN e jornais e revistas de renome”, afirma Ademar Danilo.

Exposição sobre a Jamaica no Sesc-SP inclui o Museu do Reggae Maranhão. (Foto: Divulgação)

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.