Mulheres de Hollywood criam iniciativa para defender vítimas de assédio

Após  inúmeras denúncias de assédio que tomaram conta de Hollywood em 2017, as mulheres ligadas à indústria do entretenimento começaram 2018 com uma chamada para mudança.  Mais de 300 mulheres entre atrizes, produtoras, agentes, roteiristas e diretoras ligadas ao cinema, à televisão e ao teatro se uniram e anunciaram o projeto Time’s Up. Trata-se de um fundo dedicado à defesa e à segurança das mulheres em local de trabalho, além de uma convocatória de mudança “das mulheres do entretenimento para as mulheres de todo o mundo”.

Em uma carta aberta de solidariedade no site oficial da organização, as fundadoras explicam que a ideia surgiu após terem recebido uma mensagem da ‘Alianza Nacional de Campesinas’, uma força norte-americana de trabalhadoras rurais, em que demonstravam sua solidariedade e compaixão.

“De forma similar, nós temos suprimido a violência e escondido o assédio por medo de que seremos atacadas e arruinadas no processo. Nós compartilhamos os seus sentimentos de raiva e vergonha. Temos medo de que ninguém vai acreditar em nós, de que pareceremos fracas ou que seremos ignoradas; e temos medo de que seremos demitidas ou nunca mais seremos contratadas como retaliação”, escrevem.

“Nós também reconhecemos o nosso privilégio e o fato de que temos acesso a uma enormidade de plataformas para amplificar nossas vozes. Ambos têm chamado atenção ao redor do mundo para a existência desse problema na nossa indústria que trabalhadoras rurais e incontáveis trabalhadoras individuais em outras indústrias não têm (…)

Mais do que nunca, agora o nosso acesso à mídia e a pessoas importantes tem o potencial de gerar consequências verdadeiras. Nós queremos que todas(os) as(os) sobreviventes de assédio sexual ao redor do mundo tenham suas vozes ouvidas, acreditadas, e que saibam que as consequências são possíveis.

Retrospectiva 2017: Os principais acontecimentos no mundo do cinema e das séries

Nós também queremos que todas as vítimas e sobreviventes possam acessar a justiça e uma rede de apoio. Particularmente, queremos levantar as vozes, o poder e a força de mulheres nas indústrias com baixo poder aquisitivo, onde a falta de estabilidade financeira as torna vulneráveis a altos índices de violência e exploração.”

Até a data desta publicação, o Time’s Up já havia arrecadado mais de US$ 13 milhões para o seu Fundo Legal de Defesa. Entre outras ações, a organização encoraja as mulheres a irem ao Globo de Ouro 2018 trajando preto, numa expressão de seu descontentamento.

Globo de Ouro 2018: Atrizes decidem usar roupas pretas em protesto diante das denúncias de assédios sexuais em Hollywood. Entre outros nomes, estão envolvidas no Time’s Up Eva Longoria, Reese Witherspoon, Shonda Rhimes, America Ferrera, Anita Hill, Jill Soloway, Brie Larson, Natalie Portman, Emma Stone e mais.

Fonte: Terra

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.