MPE revela que advogado usou funcionários para lavar R$ 3,2 mi

O advogado Antônio Eduardo da Costa e Silva repassou para a funcionária de seu escritório de advocacia Rebeca Maria de Souza Arruda vários cheques com valores que somam R$ 3,044 milhões. Eduardo e Rebeca foram alvos da “Operação Bereré”, que apura desvios de recursos no contrato entre o Detran de Mato Grosso e a empresa FDL Serviços de Registro Cadastro Informatização e Certificação De Documentos Ltda.

As informações são do site Midianews. De acordo com a reportagem, o MPE suspeita que os repasses do advogado para sua funcionária sejam fruto de “lavagem de dinheiro”.

Além da secretária, o motorista do advogado, Fernando Izidoro da Costa Neto, também recebeu vários cheques. O Ministério Público apurou que o salário do motorista é de R$ 993,71 e que o valor total dos 55 cheques recebidos de forma ilícita, somavam R$ 225,2 mil.

O advogado é um dos sócios da empresa Santos Treinamento e Capacitação de Pessoal. O MPE alega que a empresa é de “fachada” e foi utilizada para lavar o dinheiro do referido contrato.

De acordo com as investigações, a secretária de Antônio da Costa e Silva recebeu de dezembro de 2010 até outubro de 2015, 538 cheques em valores diversos. A soma destes documentos é de R$ 3.044.510,76.

“A análise bancária demonstrou que no período entre dezembro de 2010 e outubro de 2015 Rebeca Maria Sousa Arruda foi beneficiária de quinhentos e trinta e oito cheques sacados por Antonio Eduardo, os quais totalizam o valor de R$ 3.044.510,76. Nota-se atividade explícita de lavagem do dinheiro público oriundo do Detran/MT em razão do contrato ilícito mantido com a FDL Serviços de Registro Cadastro Informatização e Certificação De Documentos Ltda.”, diz trecho da nota.

Nos pedidos que basearam a “Operação Bereré”, o Ministério Público requereu a prisão apenas do advogado Antônio Eduardo e da secretária Rebeca Maria. O pedido não se estendeu a Fernando Izidoro.

Todavia, os pedidos foram negados pelo desembargador José Zuquim Nogueira, que autorizou a realização de busca e apreensão no escritório de advocacia Costa e Silva Advogados Associados e na empresa Santos Treinamentos e Capacitação de Pessoal, que funcionam no mesmo local.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.