MP-MA encontra idosos maltratados em asilo no bairro da Cohab

 

O principal problema encontrado no Solar do Outono se refere ao piso do estabelecimento, que está solto e danificado em vários compartimentos.
O principal problema encontrado no Solar do Outono se refere ao piso do estabelecimento, que está solto e danificado em vários compartimentos. – Fonte: Divulgação/MP-MA

A 1ª Promotoria de Justiça de Defesa do Idoso de São Luís inspecionou, na manhã dessa terça-feira (9), o asilo Solar do Outono, localizado no bairro da Cohab, único estabelecimento público de abrigamento de idosos da capital maranhense. Coordenou a vistoria o promotor de Justiça José Augusto Cutrim Gomes. A ação é a primeira de um programa de fiscalização de todos os asilos de São Luís, tanto privados quanto públicos.

O principal problema encontrado no Solar do Outono se refere ao piso do estabelecimento, que está solto e danificado em vários compartimentos. Existem informações de que já ocorreram alguns acidentes com idosos e funcionários por conta da irregularidade do assoalho.

“Este é um problema grave, porque pode causar sérias consequências”, afirmou o promotor de justiça José Augusto Cutrim Gomes.

Além da equipe da Promotoria de Justiça de Defesa do Idoso, estiveram presentes representantes do Corpo de Bombeiros, Secretaria de Estado de Direitos Humanos, conselhos estadual e municipal do Idoso e conselhos estaduais de Enfermagem e de Assistência Social.

A pedido do Ministério Público do Maranhão, a Vigilância Sanitária Municipal já havia vistoriado o local anteriormente e já encaminhou relatório à Promotoria.

Outro problema verificado se refere ao fornecimento de medicamentos. Atualmente, a maioria dos remédios – especialmente os de uso contínuo e os destinados para tratamentos mais complexos – são pagos pelos próprios idosos. Somente os básicos são adquiridos por meio de parceria com o programa farmácia básica.

No local, o Corpo de Bombeiros atestou a existência de extintores de incêndio fora do prazo de validade.

O promotor de Justiça José Augusto Cutrim Gomes afirmou que poderá tomar medidas administrativas ou criminais, de acordo com o resultado dos laudos dos órgãos que participaram da inspeção.

Piso danificado
Presente na vistoria, o supervisor estadual de Alta Complexidade, Glécio Sandro Silva informou que a unidade foi reformada em 2014. Mas o piso colocado começou a soltar e quebrar. No período, a empresa responsável pelo serviço desapareceu e uma outra licitação foi solicitada para a colocação de um novo assoalho. “Este trâmite é demorado. Por isso, ainda não conseguimos resolver esta situação”, explicou.

Atualmente, no Solar do Outono, estão abrigados 30 idosos, sendo 14 homens e 16 mulheres. A casa tem capacidade para receber 40 internos. O asilo só abriga idosos sem família ou que foram negligenciados. Cinco dos internos foram encontrados em situação de rua.

Trabalham no local 93 servidores, sendo 37 enfermeiros. Para a manutenção da unidade, estão firmados sete contratos referentes aos serviços de transporte, alimentos, água mineral, gás de cozinha, material de limpeza e higiene, lavanderia e transporte, cujo montante anual é de R$ 913 mil. Todos foram firmados por meio de procedimento licitatório.

A unidade também recebe mantimentos por meio de doações de entidades e empresas e uma pequena quantia em dinheiro. Atualmente, o asilo é dirigido por Valéria Porto Lima.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.