Morto por disputa de herança:Parentes e amigos de advogado pedem justiça

Um grupo de amigos e familiares do advogado Danilo Sandes fez uma manifestação na tarde desta quinta-feira (31) em Araguaína, norte do Tocantins. O corpo dele foi encontrado no final de julho as margens de uma rodovia. A investigação do caso apontou que a morte pode ter sido motivada por uma briga envolvendo uma herança de R$ 7 milhões.
A manifestação começou por volta das 17h, na sede da OAB de Araguaína, e terminou às 18h na Praça da Bandeira. Segundo os organizadores, cerca de 300 pessoas da comunidade participaram. (Veja vídeo)
Durante o trajeto, a comunidade pediu justiça e paz na cidade. “Não é porque foi um advogado, foi uma pessoa da comunidade geral […] Nossa preocupação é com a comunidade em geral”, comentou o presidente da Associação Comercial e Industrial de Araguaína, Márcio Parente.
O delegado Rerisson Macedo, responsável pelas investigações, disse que o suspeito de mandar matar a vítima é Robson Barbosa da Costa, de 32 anos. O homem era um dos clientes do advogado e era parte em uma ação de inventário. Ele foi preso nesta segunda-feira (28) em Marabá (PA).
Na casa do suspeito, no Pará, a polícia encontrou uma série de armas e munições, espingarda arma de uso exclusivo da polícia.
Entenda o caso
O advogado desapareceu na manhã do dia 25 de julho. O amigo do advogado, José Ribamar Júnior, disse que ele foi visto pela última vez em um supermercado. “Ele deixou a mãe dele numa agência bancária, onde ela trabalha, e depois foi tomar café em um supermercado. Por volta das 9h, ele falou com a prima por telefone e disse que iria para Filadélfia, provavelmente resolver alguma questão ligada a um processo”. O advogado estava em uma motocicleta.
Ele foi procurado durante quatro dias e o corpo foi encontrado no dia 29 às margens da TO-222, em decomposição. Ele estava apenas de cueca, com marcas de lesões, sangue e fogo, a 18 km de Araguaína, perto de entroncamento com Babaçulândia. A perícia recolheu um par de sapatos encontrado no local.
O delegado responsável pela investigação, Rerisson Macedo, disse que ele foi morto com dois disparos de arma de fogo.
Os investigadores afirmam que Robson Barbosa da Costa se revoltou quando o advogado não aceitou participar de um esquema para ocultar bens. A fraude teria beneficiado Robson, que ficaria com uma parte maior do patrimônio sem que os demais herdeiros ficassem sabendo.
O advogado era responsável por fazer o inventário para toda a família, mas após a discussão deixou de representar Robson. Ao todo, seis pessoas disputam a herança. a e armas compatíveis com a usada no dia do crime.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.