Menores apreendidos driblam agentes e fogem durante torneio de fute

Quatro adolescentes da Unidade de Internação de Santa Maria (Uism) aproveitaram a disputa de um torneio de futebol no centro olímpico da região administrativa, nesta segunda-feira (21/5), driblaram agentes socioeducativos e ganharam as ruas novamente. Dois foram recapturados, mas dois continuavam foragidos até a última atualização desta reportagem.

Em menos de cinco meses deste ano, três menores em conflito com a lei do sistema socioeducativo do Distrito Federal fugiram, o mesmo número de todo o ano passado. Fonte ouvida pelo Metrópoles relatou que episódio mais recente ocorreu pela manhã, quando 12 internos da Uism jogavam futebol monitorados por seis agentes.

O Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase) recomenda a proporção de doissocioeducadores para cada adolescente em casos que envolver alto risco de fuga, de auto­agressão ou agressão a outros. Durante os jogos, ainda segundo o relato, familiares e amigos dos internos estavam presentes.

A Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude (Secriança-DF), por meio da Subsecretaria do Sistema Socioeducativo, confirmou a evasão dos adolescentes. A pasta acrescentou que os jovens participavam do campeonato com autorização judicial. Mas não deu mais detalhes nem informou o número de internos e de agentes socioeducativos que os monitoravam.

A Secriança disse também que as autoridades relacionadas — Vara da Infância e da Juventude (VIJ) do Tribunal de Justiça do DF e Territórios (TJDFT), Ministério Público (MPDFT) e polícias Militar e Civil — foram informadas.

Descuido
A fuga desta segunda ocorreu menos de duas semanas após incidente semelhante. No dia 9 de maio, um adolescente aproveitou falha no monitoramento também da Uism e escapou do sistema. No momento, por ter bom comportamento, o rapaz, segundo a Secriança, participava de oficina profissionalizante de pintura de muro na parte externa do local.

Em 2017, duas internas driblaram a segurança durante evento sediado na Fundação Escola Superior do Ministério Público do DF e Territórios, na 502 Sul. Elas estavam na UISM, mas foram levadas pela direção do centro para participar da solenidade no Plano Piloto.

No mesmo ano, um adolescente se evadiu do carro que o transportava da VIJ à Unidade de Internação do Recanto das Emas (Unire).

Problemas diversos
As fugas são apenas mais um dos diversos problemas do sistema socioeducativo do DF. Em março, o Metrópoles mostrou a precária estrutura das unidades de internação, locais onde há ratos e cobras nos corredores, refletores quebrados e água da chuva invadindo as instalações, além de trancas danificadas. A reportagem havia obtido com exclusividade relatório produzido pelo Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente (CDCA/DF), o qual listou esses problemas.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.