Menores acusados de assassinar jovem são condenados a 3 anos de reclusão em regime fechado

O julgamento e o pronunciamento da sentença foram feitos na manhã desta sexta-feira (05), pelo juiz da vara Infância e da juventude da comarca de Imperatriz, Delvan Tavares.

O crime aconteceu no dia 18 de março, e o corpo foi encontrado dias depois, esquartejado e decapitado.

Os quatro jovens com idade entre 12 e 17 anos foram capturados ainda durante as investigações preliminares realizadas pela polícia, em parceria com o Corpo de Bombeiros. Ainda conforme essas investigações, a motivação do homicídio teria sido ciúmes dos sentimentos nutridos pela vítima para com a menor, acusada de participação no crime e namorada de outro envolvido.

Durante a audiência, os acusados relataram com detalhes como o crime aconteceu. Segundo eles, após Alex ter sido atraído ao local do crime pela moça, ele sofreu um golpe no pescoço, várias perfurações pelo corpo, além de ter o braço cortado e os olhos e a língua arrancados.

Pela descrição, natureza do crime e frieza com que este foi executado, o juiz Delvan os condenou por “Ato infracional de homicídio duplamente qualificado, por meio fútil e praticado por meio cruel.

Após a sentença, o juiz com mais de 10 anos à frente da Vara da infância, declarou: “Este foi o ato infracional mais cruel que já julguei da vida.”

Entenda o caso

Foi encontrado na manhã do dia 23 de março, no Riacho Cacau, em Imperatriz, o corpo do jovem Alex da Silva Rocha (20 anos) que estava desaparecido desde a última sexta-feira (17 de março).

Na noite anterior, Policiais Militares do 14º Batalhão fizeram capturaram quatro adolescentes, três homens e uma mulher, por suspeitas de participação no assassinato do jovem, o que foi confirmada após as investigações preliminares.

Segundo a polícia, o motivo teria sido ciúmes, pois segundo os agressores, a vítima teria ‘dado em cima’ da jovem que participou do crime e seria namorada de outro acusado.

Os menores informaram que após matarem Alex com golpes de faca, esconderam o corpo dentro do Riacho Cacau.

Foram encontradas, pelo menos, 12 perfurações no corpo da vítima. Os adolescentes foram apresentados na Delegacia do Adolescente Infrator (DAI), onde aguardavam o julgamento.

Após o pronunciamento da sentença, os três rapazes serão encaminhados para a fundação Casa da cidade; e a menina será levada para São Luís, visto que a unidade da Fundação Casa em Imperatriz não possui alojamentos para meninas.

O julgamento e o pronunciamento da sentença foram feitos na manhã desta sexta-feira (05), pelo juiz da vara Infância e da juventude da comarca de Imperatriz, Delvan Tavares.

O crime aconteceu no dia 18 de março, e o corpo foi encontrado dias depois, esquartejado e decapitado.

Os quatro jovens com idade entre 12 e 17 anos foram capturados ainda durante as investigações preliminares realizadas pela polícia, em parceria com o Corpo de Bombeiros. Ainda conforme essas investigações, a motivação do homicídio teria sido ciúmes dos sentimentos nutridos pela vítima para com a menor, acusada de participação no crime e namorada de outro envolvido.

Durante a audiência, os acusados relataram com detalhes como o crime aconteceu. Segundo eles, após Alex ter sido atraído ao local do crime pela moça, ele sofreu um golpe no pescoço, várias perfurações pelo corpo, além de ter o braço cortado e os olhos e a língua arrancados.

Pela descrição, natureza do crime e frieza com que este foi executado, o juiz Delvan os condenou por “Ato infracional de homicídio duplamente qualificado, por meio fútil e praticado por meio cruel.

Após a sentença, o juiz com mais de 10 anos à frente da Vara da infância, declarou: “Este foi o ato infracional mais cruel que já julguei da vida.”

Entenda o caso

Foi encontrado na manhã do dia 23 de março, no Riacho Cacau, em Imperatriz, o corpo do jovem Alex da Silva Rocha (20 anos) que estava desaparecido desde a última sexta-feira (17 de março).

Na noite anterior, Policiais Militares do 14º Batalhão fizeram capturaram quatro adolescentes, três homens e uma mulher, por suspeitas de participação no assassinato do jovem, o que foi confirmada após as investigações preliminares.

Segundo a polícia, o motivo teria sido ciúmes, pois segundo os agressores, a vítima teria ‘dado em cima’ da jovem que participou do crime e seria namorada de outro acusado.

Os menores informaram que após matarem Alex com golpes de faca, esconderam o corpo dentro do Riacho Cacau.

Foram encontradas, pelo menos, 12 perfurações no corpo da vítima. Os adolescentes foram apresentados na Delegacia do Adolescente Infrator (DAI), onde aguardavam o julgamento.

Após o pronunciamento da sentença, os três rapazes serão encaminhados para a fundação Casa da cidade; e a menina será levada para São Luís, visto que a unidade da Fundação Casa em Imperatriz não possui alojamentos para meninas.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.