May defende acordo de segurança entre Reino Unido e UE

 

 

“Proponho um novo tratado para nova relação de segurança que preserve as nossas capacidades”, apontou Theresa May

 

 

A primeira-ministra britânica, Theresa May, pediu nesse sábado um novo tratado em matéria de segurança entre a UE e o Reino Unido para após o “brexit”, já que uma ruptura da atual cooperação teria “consequências ruins reais”.

May fez estas declarações ao discursar na Conferência de Segurança de Munique (MSC), um fórum sobre política internacional, onde argumentou que um acordo em defesa entre a UE e o Reino Unido precisa de “vontade política”, para que “os cidadãos em toda Europa estejam mais seguros”.

Este acordo, acrescentou, deve manter a atual cooperação em matéria de segurança, preservar as capacidades desenvolvidas nos últimos anos, mas manter as respectivas soberanias no âmbito legal: Londres reconheceria o Tribunal de Justiça da UE (TJUE) ainda que este não teria jurisdição no Reino Unido.

“Proponho um novo tratado para nova relação de segurança que preserve as nossas capacidades”, assegurou May, que apontou três “requisitos”: respeito às respectivas soberanias legais, um mecanismo de resolução de disputa e o reconhecimento de diferentes padrões em proteção de datas.

“Estamos incondicionalmente comprometidos a manter a cooperação em defesa”, sublinhou a primeira-ministra, que afirmou que “lado a lado” o Reino Unido e a UE protegerão e projetarão seus “valores” e manterão “seguros” os seus cidadãos “agora e no futuro”.

No entanto, alertou que “se a prioridade é não manter a cooperação” em matéria de defesa e segurança, os resultados podem ter “consequências ruins reais”.

Por parte de Londres, acrescentou, não há impedimento. “Queremos continuar com esta cooperação quando sairmos da UE”.

“Não tem nada em nosso caminho. Se colocarmos isto (em referência à segurança dos cidadãos) no centro, encontraremos os meios”, afirmou May, que pediu que as conversas sobre o assunto “não sejam atrasadas” e avancem “com urgência”, “ambição” e “criatividade”, para alcançar “um tratado para a segurança de todos os europeus”.

A primeira-ministra indicou seu interesse em participar também em projetos que possam receber financiamento do Fundo Europeu de Defesa e de ter voz na formação de questões nas quais se avance em estreita cooperação, como operações militares conjuntas no exterior e a imposição de sanções.

May, ao mesmo tempo, assegurou que por causa do Brexit o Reino Unido terá seus próprios objetivos na política exterior e desenvolverá seus próprios padrões e um sistema legal independente do comunitário, ainda que apontou que os “valores” subjacentes seguirão sendo os mesmos.

Entre os atuais mecanismos de cooperação em segurança e justiça a primeira-ministra britânica mencionou as ordens europeias de extradição e a troca de informação através da Europol.

Agência EFE

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

fonte: ma10

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.