Maranhão realiza segundo parto do país acompanhado por intérprete de Libras

 

Ouvir o choro do filho nos primeiros instantes de vida é o momento mais aguardado pela maioria das mamães durante os nove meses de gestação. Para a dona de casa Maria Lúcia Sousa, 32 anos, essa espera acompanhava motivos ainda mais especiais. Lúcia é surda e pela primeira vez pôde ter o acompanhamento de uma intérprete de libras durante o parto e conhecer todos os detalhes até a chegada do filho Michael.

O parto aconteceu na segunda-feira (19), no Hospital e Maternidade de Alta Complexidade do Maranhão, na Cohab, e foi o segundo parto realizado no Brasil com o acompanhamento de intérprete de libras na rede pública de saúde. O bebê, que nasceu de um parto cesáreo, é saudável, mede 56 cm e pesa 4,8kg.

“Foi muito bom. Nem sei explicar a emoção. Estou muito feliz, me senti muito protegida. Foi um sonho! Sempre que eu dormia eu sonhava com esse momento, com a intérprete aqui comigo, foi maravilhoso. Um verdadeiro sonho realizado. Agradeço a todos os envolvidos, todo mundo. Das outras vezes não tive isso. Agora só desejo que meu filho cresça com saúde e que estude. Estude muito, para ser alguém na vida. Estou muito feliz!”, conta a mamãe emocionada.

Michael é o quarto filho do casal Maria Lúcia e Cleiton e durante toda a gestação eles tiveram o acompanhamento das intérpretes da Central de Interpretação de Libras (CIL), nas consultas médicas, exames, ultrassons e até na sala de cirurgia. O parto estava agendado para a semana que vem, porém Lúcia sofreu um rompimento e perdeu bastante líquido, precisando passar por uma cirurgia de emergência, para assegurar a saúde da mãe e do bebê. O parto foi tranquilo e a criança nasceu na segunda-feira às 18h50, pontualmente.

O cirurgião obstetra responsável pelo parto, Clemilson Alves Silva, ficou surpreso e ao mesmo muito feliz em fazer parte deste momento. “A sociedade merece isso, o povo maranhense merece isso. A paciente precisa saber o que está acontecendo com ela. Para nós da área da saúde ainda falta isso, essa possibilidade de diálogo com essa paciente que sofre de surdo-mudez. Essa possibilidade de dar informação para ela, orientar, dizer o que está acontecendo, tenho certeza que ela se sentiu mais segura nesse momento. Eu nunca imaginei que pudesse me deparar com uma situação assim e aprender alguma coisa na linguagem de libras, esse momento foi muito interessante para mim, fiquei muito feliz em poder participar”, conta o médico.

O Decreto Legislativo nº 186, de 9 de julho de 2008, em conformidade com o procedimento previsto no § 3º do art. 5º da Constituição do Brasil institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência), destinada a assegurar e a promover, em condições de igualdade, o exercício dos direitos e das liberdades fundamentais por pessoa com deficiência, visando a sua inclusão social e cidadania. Para fins de aplicação desta lei estão previstas ainda a garantia de direitos básicos como acessibilidade, comunicação informação e igualdade, previstos nos artigos 3º ao 6º.

No ano passado, o Governo do Maranhão garantiu o acompanhamento de uma intérprete de libras durante o parto da gestante Louise Ludmilla e recebeu da Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos (FENEIS) a oficialização pela garantia dos direitos das pessoas surdas, por feito inédito, que assegurou às mulheres maranhenses o direito básico à comunicação durante o nascimento de seus filhos. Agora, pela segunda vez, o feito se repete o que indica que o Maranhão está caminhando pela direção correta, garantindo às parturientes um direito que é garantido a elas e que por gerações foi negligenciado, mantendo essas mulheres em absoluto silêncio.

Para o secretário de Direitos Humanos e Participação Popular, Francisco Gonçalves, promover a inclusão é o princípio fundamental da Sedihpop junto à sociedade. “A possibilidade de uma mãe poder compreender o que está acontecendo consigo mesmo e com o seu filho na hora do nascimento é uma questão básica de direito humano. E a Sedihpop, por intermédio da CIL, tem se proposto e atendido as pessoas no sentido de garantir-lhe o acesso às informações que sem a libras somente é possível aos ouvintes”, declarou.

A secretária adjunta dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Beatriz Carvalho, por sua vez, comemora esse novo passo. “Nós ficamos imensamente felizes em participar desse momento tão especial na vida da Maria Lúcia, sobretudo por saber que esta é mais um das tantas conquistas garantidas pelo Governo do Estado, que este ano tem realizado muitas entregas, a exemplo do uniforme escolar acessível, o plano metropolitano de acessibilidade, a renovação do projeto travessia e tantas outras”, celebra a secretária.

Além do acompanhamento da intérprete, Maria Lúcia foi assistida pela equipe multiprofissional, composta por enfermeira, assistente social, técnica de enfermagem e fisioterapeuta, capacitadas pelo Programa Saúde em Libras, que há algumas semanas tem capacitado os profissionais das maternidades do estado para atender de forma humanizada as parturientes da rede pública maranhense.

Saúde em Libras

O Governo do Estado iniciou, em 6 de fevereiro, o projeto ‘Saúde em Libras’ no Hospital e Maternidade de Alta Complexidade do Maranhão, com o objetivo de capacitar os profissionais da rede estadual de saúde, otimizando o acesso e qualidade do atendimento e cidadania para a pessoa surda e seus familiares durante atendimento. As Secretarias de Estado da Saúde (SES) e de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop), de forma integrada, implantaram o projeto pioneiro no Maranhão. Foram capacitados 90 profissionais, divididos em três turmas de 30 pessoas, durante os turnos da manhã, tarde e noite, adequando o horário de trabalho do profissional de saúde à carga horária do curso de 40 horas.

O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, observou que o projeto já apresenta resultados positivos. “É perceptível que o ‘Saúde em Libras’ tem beneficiado as pacientes que precisam do auxílio de intérprete para pessoa surda, confirmando que foi acertada a iniciativa da gestão do governador Flávio Dino de investir nesse projeto”, ressaltou o secretário Carlos Lula.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FONTE: GOVERNO DO ESTADO

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.