Marambaia e Quinto brigam pelo titulo na ultima noite de desfile da Passarela do Samba

 

 

kge_turma_do_quiinto_12-220794

Tradições genuinamente maranhenses, a Passarela do Samba abriu alas em seu penúltimo dia para mais uma noite de Blocos Organizados e Escolas de Samba, além das Alegorias de Rua: Tijupá, Casinha da Roça, Tapera e Corso das Virgens. Pelo sambódromo já passaram também Turmas de Samba, Blocos Tradicionais que, assim como os Organizados, as Alegorias de Rua, Tribos de Índio e Blocos Afros, só existem no Maranhão.

Nesta segunda-feira (27) participaram do último dia de Concurso da Passarela do Samba 2017 os Blocos Organizados: Os Gorjeadores, Pau Brasil, Kanto Kente, Turma do Saco, Vila Izabel e Dragões da Madre Deus. Estes blocos foram acrescentados aos desfiles da Passarela quando esta ainda acontecia na Praça Deodoro, sendo uma evolução dos antigos blocos de sujo da cidade, que eram quando amigos se encontravam para festejar nas ruas de forma espontânea.

Dança, comissão de frente, alegorias, adereços, samba-enredo, mestre-sala e porta-bandeira, bateria, alas, carros alegóricos e baianas abrilhantaram a noite com as Escolas de Samba que destacaram, em sua maioria, elementos da cultura maranhense. A primeira a se apresentar foi a Mocidade Independente da Ilha do bairro Cohab, com o tema “Porto de Itaqui: Progresso, Lenda e Mistérios”. Em seguida, a Túnel do Sacavém fez referência a todas as mulheres com destaque para aquelas que marcaram a história do Brasil e do mundo, sob o enredo “A outra metade do céu, as mulheres na história e no coração”.

Trazendo um discurso pela resistência da cultura e do carnaval, a Flor do Samba prestou sua homenagem ao Grupo Grita do Anjo da Guarda, um dos Pontos de Cultura de São Luís, que há 40 anos realiza um dos maiores teatro a céu aberto do país, com o tema “Do carnaval ao teatro, do Itaqui ao Bacanga, grita minha Flor e dá voz ao anjo esperança”. Em seguida foi a vez da Marambaia, do Bairro de Fátima, que trouxe o colorido e estampado da África, sob o tema “Majestosa Mãe África: Herança de nossos ancestrais”.

Finalizando a noite, a Turma do Quinto levantou o público com o samba-enredo “Akomabu: A cultura não deve morrer”. A campeã do ano passado trouxe o tema do Grupo Afro ludovicence e dedicou o desfile à pessoas do carnaval maranhense que faleceram recentemente, entre elas: Julimar Maia, Aldo Leite, Jota Alves, Zé Pivô e Tião da Favela.

“Estou achando muito bem organizado, além dos desfiles encantadores, temos todo o aparato de segurança e saúde aqui. Participo desde criança, nunca deixo de acompanhar e esse é o melhor ano que já prestigiei, as agremiações capricharam”, frisou a espectadora Lenir Baldez, de 60 anos.

A apuração do Concurso acontece no Cine Teatro da Cidade, na quarta-feira (1º), a partir das 15h.

O Carnaval de todos

encerrou  nesta terça-feira (28)  na  Passarela do Samba, no Anel Viário. A programação inicia às 18h com apresentação de grupos de tambor de crioula, seguido das Tribos de Índio: Upaon Açu, Tupinambás do Anjo da Guarda, Guajajaras, Curumim, Carajás, Sioux, Kamayura, Tupinambás do Iguaiba, Itapoan, Tupiniquins, Tapiaca-Uhu e Guarani; E cortejo dos Blocos Afros: Gdam, Didara, Neto de Nanã, Akomabu, Juremê, Aruanda, Abiê-Mayo, Omnirá, Abibimã e Officina Affro.

Para fechar oficialmente a programação, a festa contará com a participação do Blocão do Bicho, Bloco do Reggae “Filhos de Jah” e show com Sambaceuma.I

Imirante.com

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.