Justiça suspende reintegração de posse em Bom Jesus

Imperatriz: Estava marcada para a manhã desta terça-feira (22), a operação de reintegração de posse de uma área no bairro Bom Jesus, em Imperatriz. Na tarde da segunda-feira (21), véspera da ação, foram suspensas as liminares de reintegração de posse até o julgamento dos agravos. Ou seja, as reintegrações estão suspensas até segunda ordem.

Estava marcada para a manhã desta terça-feira (22), a operação de reintegração de posse de uma área no bairro Bom Jesus, em Imperatriz. Na tarde da segunda-feira (21), véspera da ação, foram suspensas as liminares de reintegração de posse até o julgamento dos agravos. Ou seja, as reintegrações estão suspensas até segunda ordem.

Segundo matéria produzida pela Difusora Sul no dia 10 deste mês, cerca de 1200 famílias estão em busca do direito de posse no bairro.

“A gente tá com o coração aliviado, todo mundo estava preocupado com o que iria acontecer. De certa forma, seria uma tragédia. Muitas famílias iriam ficar à mercê da sorte, sem lugar pra ir. Agora está ocorrendo tudo dentro da normalidade”, conta um dos moradores, Luan Costa.

Batizada pelos invasores de Vila Jackson Lago e Vila Esperança, a área fica próxima ao cemitério do bairro e ao campus II da Universidade Federal do Maranhão. A área foi invadida em maio de 2015 e já houve uma desocupação, mas as famílias desalojadas retornaram.

O vereador Carlos Hermes (PCdoB) acompanha a situação desde o início e afirma acompanhar o andamento do processo.

“A comunidade venceu a batalha mas não venceu a guerra. Esse processo continua em trâmite. Inclusive, as empresas já entraram com recurso, questionando a eliminação da liminar. A partir de agora é manter a vigilância no trabalho jurídico. Devemos parabenizar a união desse povo, o resultado está aí, todo mundo permanecendo em sua residência”, disse o vereador.

Ainda de acordo com Carlos Hermes, a Câmara de Vereadores deve apresentar um requerimento solicitando a criação de uma CPI, para investigar o processo de aquisição dessa área por partes das empresas que se dizem proprietárias.

“Há fortes indícios de que houve fraude nesse processo. Ou seja, a criação da CPI serviria para investigar se houve fraude ou não. E também quanto ao uso do dinheiro público de modo irregular. Claro que isso tudo ainda são indícios e só nós poderemos chegar à uma conclusão com a criação da CPI”, afirma.

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) é um organismo de investigação e apuração de denúncias que visa proteger os interesses da coletividade (da população brasileira).

Ela é conduzida pelo Poder Legislativo (Câmara de Deputados Federais e Estaduais ou Vereadores), que transforma a própria Câmara Parlamentar em uma comissão, que é nomeada pelos membros da Câmara, sendo assim, a comissão vai agir em nome da instituição, realizando um inquérito ou uma investigação. Concluída, a CPI aponta ou não os culpados e suas penas.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.