Justiça Federal recebe denúncia contra quadrilha de contrabandistas no MA

A Justiça Federal recebeu a denúncia do Ministério Público Federal (MPF) sobre o caso de quadrilha de contrabandistas de bebidas e cigarros envolvendo várias autoridades da polícia do estado do Maranhão. A denúncia foi oferecida pelo MPF no Maranhão no dia 28 de março.  A denúncia é contra 13 pessoas, entre policiais militares, delegado da Polícia Civil, político e empresários, acusadas de integrarem organização criminosa especializada no contrabando de cigarros e descaminho de bebidas para São Luís (MA). Foi pedida a manutenção das prisões preventivas e medidas cautelares, além da condenação dos denunciados pela prática dos crimes de organização criminosa, contrabando, descaminho, corrupção, falsidade documental, posse irregular de arma de fogo e porte ilegal de arma de fogo de uso restrito.

Foram recebidas as denúncias contra o delegado da Polícia Civil Tiago Mattos Bardal, o  ex-vice-prefeito de São Mateus (MA) Rogério Sousa Garcia, o coronel da Polícia Militar (PM) Reinaldo Elias Francalanci. Todos tiveram as prisões preventivas mantidas. Recebidas as denúncias também contra: José Carlos Gonçalves,  Joaquim Pereira de Carvalho Filho,  Fernando Paiva Moraes Junior, Aroudo João Padilha Martins, Ricardo Jeerson Muniz Belo,  Edmilson Silva Macedo, Galdino do Livramento Santos, Evandro da Costa Araújo e Rodrigo Santana Mendes.

O juiz Luiz Régis Bomm Filho manteve a prisão preventiva dos denunciados:  José Carlos Gonçalves,  Luciano Fabio Farias Rangel, Joaquim Pereira de Carvalho Filho, Fernando Paiva Moraes Junior,  Galdino do Livramento Santos  e Evandro da Costa Araújo.

Concedida liberdade provisória para os investigados: Ricardo Jeerson Muniz Belo, Edmilson Silva Macedo, Rodrigo Santana Mendes e Aroudo João Padilha Martins (Apenas com fiança de 10 mil reais).

A denúncia foi formulada pelos procuradores da República Carolina da Hora Mesquita Höhn, Juraci Guimarães Júnior e Marcilio Nunes Medeiros, designados pela Procuradora-Geral da República Raquel Dodge para atuar conjuntamente na investigação, e baseou-se em laudos elaborados pela Polícia Civil e Polícia Federal, além de depoimentos de testemunhas, policiais civis e militares e apreensão de mercadorias ilícitas e armas sem registros.

Na última quinta-feira (28), o delegado Tiago Bardal prestou depoimento sobre outro esquema de contrabando pelo qual está sendo investigado.  Bardal teria interceptado carga apreendida em agosto de 2017, que não teve destino revelado.

Entenda o caso

A organização criminosa foi desbaratada por operação policial realizada em um sítio localizado no bairro do Quebra Pote, em fevereiro deste ano, próximo ao porto do Arraial, por onde os produtos eram descarregados e posteriormente armazenados em galpões. Durante a abordagem policial na qual parte do grupo criminoso foi presa em flagrante, em 21 de fevereiro, foram apreendidas 6 pistolas, revolver, 18 carregadores de pistolas, mais de 200 munições, 2 granadas, 2 rifles e um binóculo de visão noturna.

Também foram encontradas 877 caixas de whisky e 6.165 caixas de cigarros, localizadas em dois galpões de armazenamento, um no porto do Arraial e outro na Vila Esperança. O valor das mercadorias apreendidas, whiskys e cigarros de procedência estrangeira ilegal, totaliza R$ 16.371.371,07.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.