Investimento milionário no Porto do Itaqui vai gerar 1.600 empregos

 

 

O documento prevê investimento de R$ 168 milhões, aumentando a capacidade em 48 mil metros cúbicos

 

 

 

 

O Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil formalizou nesta quarta-feira, 23, em Brasília, a prorrogação antecipada dos contratos de arrendamento do Tequimar (Terminal Químico de Aratu) no Porto do Itaqui por mais 25 anos, até 2049.

O documento prevê investimento de R$ 168 milhões, aumentando a capacidade em 48 mil metros cúbicos, que somados à capacidade de 55,2 mil m³ já existentes, totalizarão 103,2 mil m³ de granéis líquidos.

Além disso, durante a solenidade, a empresa anunciou a decisão de investir mais R$ 170 milhões adicionando mais 50 mil m³ em capacidade.

O presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), Ted Lago, participou da sessão no gabinete do ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella Lessa, ao lado dos representantes da Ultracargo, operadora do terminal, Ricardo Catran, diretor superintendente, e Helano Pereira Gomes, diretor de Negócios.

“Esse projeto vai gerar diretamente, fora os investimentos todos, mais de 400 empregos diretos só na obra, fora os que serão gerados depois, na operação, e nossa expectativa é levar essa experiência para os demais portos brasileiros”, afirmou o ministro. A previsão é de que outros 1.200 empregos indiretos sejam gerados por este projeto.

O ministro Mauricio Quintela Lessa lembrou que toda essa demanda nova por combustíveis, não só nos portos do Norte, mas em todos os portos brasileiros, deve-se principalmente ao crescimento do agronegócio no Brasil. “Cresce o agronegócio, e, consequentemente, há uma busca maior por insumos, para fazer girar a cadeia logística”, disse.

A previsão é de que as obras de ampliação sejam iniciadas agora em setembro e a entrada em operação deve se dar dentro de 24 meses. O investimento do Tequimar integra o Plano de Investimentos da EMAP até 2018, anunciado pelo governador Flávio Dino em 2016, que abrange recursos públicos e privados em um total de R$ 1,3 bilhões. Desses, R$ 255,55 milhões são de recursos próprios, R$ 4,126 milhões em recursos federais e R$ 1,093 bilhões da iniciativa privada.

O novo projeto

Com base em estudos sobre a demanda atual da região do MATOPIBA, onde o consumo de combustíveis é maior do que a capacidade de armazenagem instalada nos terminais do Porto do Itaqui, a proposição do Tequimar para unificação de contratos prevê a injeção de novos investimentos com o objetivo de alavancar sua capacidade operacional e ampliar a infraestrutura portuária.

O projeto também prevê aumento da eficiência operacional do setor, com possíveis reflexos numa maior modicidade nos preços praticados junto aos usuários.

O Tequimar possui três contratos de arrendamento com a EMAP, destinados à instalação de um Terminal de Armazenamento de Granéis Líquidos, assinados respectivamente em 1999, 2001 e 2011, que totalizam uma área de 52,4 mil metros quadrados no Porto do Itaqui. São dois diques, um com seis tanques (de 6.800 m³) e outro com 10 tanques (de 420 m³ a 2.600 m³) e ainda um tanque de 4.500 m³ que armazena água para combate a incêndio.

A expansão da capacidade do terminal de granéis líquidos será realizada em duas fases. A primeira prevê a construção de tancagem adicional para combustíveis, aumentando em, no mínimo, 30 mil metros cúbicos a capacidade atual, que estará concluída em 2020. Na segunda fase será ampliada a capacidade estática em, no mínimo, 18 mil metros cúbicos.

Também estão previstos investimentos em plataformas rodoviárias, oficina de manutenção, extensão das linhas do Berço 106 para o 108, novas linhas de píeres e substituição das existentes.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

fonte: ma10

 

 

 

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.