Impedimentos prejudicam Fla, Grêmio e Vasco e ajudam Galo e São Paulo

Atlético-PR, Atlético-MG, Joinville, São Paulo e Sport estão entre as equipes mais beneficiadas pelos erros dos assistentes-bandeirinhas na marcação de impedimentos; Ponte Preta, Coritiba, Grêmio e Vasco, entre os mais prejudicados quando levado em consideração a diferença entre erros que prejudicam os ataques e os que beneficiam as defesas de cada time.

Saldo de erros nos impedimentos após rodada 27 (Foto: GloboEsporte.com)

Uma boa notícia é que o desequilíbrio diminuiu em relação ao mesmo momento do campeonato do ano passado. Outra é que o desempenho dos bandeirinhas está melhorando.

Embora não tenha responsabilidade sobre isso, o Atlético-PR é involuntariamente o clube mais beneficiado até aqui pelos impedimentos mal marcados. Os bandeirinhas erraram dez que beneficiaram a defesa do Furacão e quatro que prejudicaram seu ataque. O saldo dessas falhas da arbitragem deram vantagem ao Atlético-PR em seis lances.

O segundo lugar entre os clubes mais beneficiados tem um empate quádruplo: Atlético-MG, Joinville, São Paulo e Sport estão entre os mais beneficiados. A defesa do Atlético-MG foi beneficiada quando os bandeirinhas erraram ao marcar 12 impedimentos de adversários do Galo e o ataque do clube mineiro foi prejudicado por sete erros.

Após a 27ª rodada do Brasileirão-2014, a equipe mais favorecida era o Fluminense. Mas em vez dos seis erros que ajudaram neste ano o Atlético-PR, a equipe do Flu foi sido beneficiada 14 vezes, mais que o dobro, sendo que ataques adversários do Tricolor carioca tinham sido prejudicados em 21 ocasiões, e o ataque do Flu em sete.

Neste ano, entre os mais prejudicados está a Ponte Preta: sua defesa foi beneficiada três vezes, mas seu ataque prejudicado nove. Saldo de seis prejuízos. A marca é semelhante à do Coritiba, beneficiado quatro vezes mas prejudicado dez. Saldo negativo de seis.

Grêmio (quatro negativo de saldo), Flamengo e Vasco (três negativo) vêm logo em seguida. Na sequência aparecem Chapecoense e Santos, com dois prejuízos a mais do que benefícios.

Quando analisados separadamente, os erros que beneficiam as defesas ajudam mais o São Paulo: em 43 impedimentos marcados contra adversários do Tricolor paulista, dez foram mal marcados, 23,3%. Isoladamente, a defesa do Atlético-PR foi a mais beneficiada, com 19,2% dos impedimentos sendo mal marcados a favor da defesa do Furacão.

Também isoladamente, é o ataque do Corinthians o mais prejudicado. Os bandeirinhas erraram 28,1% dos impedimentos que marcaram, errando nove vezes. A diferença é que a defesa do Timão foi beneficiada nove vezes. O saldo é de zero erro no caso do Corinthians, embora Flamengo e Fluminense possam dizer que um gol legítimo de cada um deles foi anulado contra o Corinthians, sendo que no caso do Flu, o gol anulado empataria a partida em São Paulo.

A MELHOR LINHA DE IMPEDIMENTO DO BRASIL

Há diversas razões para o Corinthians estar na liderança do Brasileirão com certa folga (cinco pontos de vantagem com 33 ainda a disputar). Entre elas, certamente, está a inteligência e a consciência de seus atletas. Há anos o Corinthians tem a melhor linha de impedimento do Brasil, fruto de muito treinamento de movimentação, que agora está também favorecendo seus atacantes, que se acostumaram a ficar atentos ao posicionamento.

O Corinthians é disparado o time que mais conquista impedimentos (foram marcados 106 de seus adversários, 19 a mais que o segundo colocado, o Sport) e ao mesmo tempo é o ataque menos flagrado nesse tipo de irregularidade: foram marcados 36 impedimentos do ataque corintiano, mas em nove deles os bandeirinhas erraram. Ou seja, os adversários têm anuladas as chances que criam no ataque, e o Corinthians raramente tem seus ataques anulados, um tijolinho a mais para chegar às vitórias que levaram o clube à liderança isolada até aqui.

Impedimentos por clube após a rodada 27 (Foto: GloboEsporte.com)

Foram analisados pelo Espião Estatístico 1.101 impedimentos marcados pelos assistentes nos 270 jogos realizados até agora. Em 850 deles os bandeirinhas acertaram em suas decisões (88%), mas erraram em 114 (12%). Não entraram na avaliação 136 impedimentos em que não foi possível determinar se os assistentes acertaram porque a posição das câmeras não permitia chegar a uma conclusão objetiva. O desempenho deste ano está melhor do que no mesmo período do ano passado, quando os acertos correspondiam a 82,5% e os erros, a 17,5%.

*A equipe do Espião Estatístico é formada por: Bruno Marques, Davi Barros, Guilherme Marçal, Gustavo Pereira, Igor Gonçalves, Leandro Silva, Pedro Lopes, Roberto Teixeira e Valmir Storti.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.