Governo reforça segurança para o período pré-carnavalesco na Região Metropolitana de São Luís

O Governo do Estado executa o planejamento das ações de segurança para o período pré-carnavalesco na Região Metropolitana de São Luís, mobilizando a estrutura da Polícia Militar do Maranhão (PMMA), com apoio da Polícia Civil e instituições parceiras. Áreas estratégicas onde tradicionalmente ocorrem eventos estão no cronograma das equipes policiais. Também serão reforçadas as ações em áreas onde ocorrerão festas que não integrem o circuito oficial, mas que já estão com programação divulgadas. Para isso, a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) reforçou o efetivo, melhorou equipamentos e destacou novas viaturas.

Nesta prévia carnavalesca, as ações se concentram na Madre Deus, Cohatrac e área central de São Luís. A estratégia é cobrir pontos onde a concentração de brincantes e o número de eventos é maior, explica o comandante de Policiamento de Área Metropolitana I (CPAM1), coronel Pedro Ribeiro. “Estamos com o planejamento definido e o cidadão pode ter a garantia de aproveitar um festejo animado e seguro. Nosso objetivo é repetir o que ocorreu no Carnaval passado quando não houve registro de qualquer tipo de violência no circuito oficial”, informou.

Além da cobertura regular das festas, a polícia recebe demanda de organizadores de eventos particulares solicitando segurança. Nestes casos, o comandante explica que são analisados os pedidos para definir a modalidade de policiamento a ser destacado aos locais. Foram recebidas solicitações de eventos que serão promovidos nos bairros Anil, Cohafuma, Vinhais e Angelim. A Polícia Militar conta com equipes a pé, de motocicletas, viaturas e cavalaria. Além do apoio da Polícia Civil, que se responsabiliza pelos registros e investigação de ocorrências.

Durante o período pré-carnavalesco, a polícia realiza barreiras de contenção nos pontos mais movimentados de saída e entrada da cidade; vistorias e fiscalização nos locais de festa; e monitoramento de pessoas e veículos. Serão montadas ainda torres de observação em alguns espaços considerados de grande movimento. “São operações regulares para estes períodos e que vamos intensificar com a proximidade do ponto alto do Carnaval para que os brincantes possam se divertir com tranquilidade”, enfatizou o coronel Pedro Ribeiro. O planejamento inclui ainda policiamento ostensivo.

Lei Seca

No Carnaval, a polícia intensifica as operações da Lei Seca e contra os abusos da poluição sonora. As fiscalizações ocorrem em locais que sediam eventos, sendo verificada a licença do estabelecimento e observadas situações como presença de carros com documentação irregular, venda de bebidas alcoólicas, alcoolemia, tráfico de drogas, lesão corporal, dentre outros itens.

Na operação Lei Seca, as equipes realizam teste de etilômetro, conhecido como bafômetro. O teste mede o nível de embriaguez e caso aponte 0,33 mg/l no aparelho é caracterizado crime de infração gravíssima. A pena é a suspensão do direito de dirigir e multa de quase R$ 3 mil. Em 2016 foram aplicadas mais de 1,5 mil multas por alcoolemia no Estado.

“Essa operação é de extrema importância para combater a violência no trânsito. A punição pode impedir o condutor de cometer infrações, mas é preciso também que tenham consciência e respeitem as leis e a vida das pessoas”, avaliou o comandante do CPAM 1, Pedro Ribeiro.

Poluição sonora

A PMMA trabalha, também, no combate à poluição sonora durante as festividades. A Delegacia de Costumes e Diversões Públicas, da Polícia Civil atua em parceria com a Polícia Militar para combater os casos de poluição sonora. A fiscalização cobra o cumprimento da Lei 200/2009, que trata do horário de funcionamento dos estabelecimentos comerciais. As operações são executadas nos eventos onde há sonorização, como shows, boates, lojas de convivência e outros.

“Estamos empenhados em promover operações que somem na manutenção da ordem pública. O apoio das demais estruturas da Segurança e dos órgãos de referência são essenciais para o sucesso deste trabalho”, pontuou o comandante do CPAM 1, Pedro Ribeiro. A Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semam) também participa das ações, por meio da Superintendência de Qualidade Ambiental.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.