Governo debate comercialização do leite no Médio Mearim e Leste do Estado

 

 

Com a proposta de adensar a cadeia produtiva, com o foco na expansão da produção e comercialização, a Secretaria de Indústria, Comércio e Energia (Seinc) reuniu centenas de produtores de leite das regiões Médio Mearim e Leste Maranhense para discutir medidas em prol da expansão e verticalização de toda a cadeia. Os produtores, por meio e um diálogo franco e transparente, fizeram a exposição de diversos fatores, como os gargalos e possíveis soluções para alavancar os negócios em prol da cadeia nas regiões.

Segundo o secretário da Seinc, Simplício Araújo, a convocação partiu dos próprios produtores, que chamaram a secretaria para discutir as problemáticas que envolvem o setor. “Estamos em linha direta com o governador Flávio Dino, ouvindo e encaminhando os problemas que impactam a cadeia do leite no Maranhão”, afirmou. As dificuldades enfrentadas pelos produtores de leite na região foram identificadas por meio do Programa Mais Produção, que trabalha na revitalização de cadeias produtivas no Estado. Especificamente no Médio Mearim, está em andamento um trabalho de adensamento da cadeia do leite que refletiu no aumento da produtividade, e está sendo coordenado pela Seinc.

O presidente da Associação dos Produtores de Leite de Codó (Aplec), Clério Guerra, frisou que a cadeia passa por um momento ainda delicado, mas que após a reunião, os produtores estão confiantes que as estratégias visando a comercialização do leite maranhense vão surtir efeito. “A gente viu pontos positivos do Governo, sinalizando para facilitar esse aumento da comercialização de imediato. O que exatamente a cadeia precisa, de ações imediatas. Vimos, inclusive, uma sinalização do próprio governador para contribuir com essa comercialização”.

Além da Seinc, a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima), parceira nos trabalhos da cadeia do leite, tem realizado um trabalho de assistência técnica aos produtores. O superintendente de Política Agrícola da pasta afirmou que “temos que discutir esses gargalos exatamente com os produtores, para que possam ser resolvidos. Vamos resolver passo a passo, ouvindo eles. Facilita inclusive o nosso trabalho”, pontuou.

O proprietário de uma empresa de laticínios na cidade de Caxias, Tarcísio Alapenha, disse que as medidas debatidas durante a reunião podem contribuir consideravelmente para o setor. “Foi oportuna essa reunião em um momento crítico que passa a pecuária de leite na nossa região. Mas, nós com a sinceridade e a clareza que foram expostas aqui, temos a certeza que será um sucesso e nós vamos sair vencedores dessa luta”.

Fórum permanente

Durante a reunião foi discutida a criação de um fórum permanente para debate de tudo que envolve a cadeia do leite. A proposta, segundo Simplício Araújo, é avaliar mensalmente em diversas regiões as ações para tentar sanar os problemas e alavancar a cadeia. “Vamos discutir com todos os atores do processo, por meio de um fórum para, juntos, contribuirmos para o adensamento dessa cadeia”, disse Araújo.

Recentemente produtores da região receberam tanques de resfriamento e ordenhadeiras mecânicas, proporcionando o aumento da produção, melhoria nas condições apropriadas ao consumo e estendendo o prazo de validade do produto até chegar nas agroindústrias de beneficiamento.

Avanços

Nesta segunda-feira (19), gestores da Seinc e Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged) se reuniram, dando início as ações voltadas para a cadeia, seguindo as demandas discutidas durante a reunião. A intenção é discutir com os diversos atores envolvidos na cadeia do leite, tentando sanar os problemas, contribuindo assim, para o crescimento do setor.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FONTE: GOVERNO DO ESTADO

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.