Folia no interior: passagens de ferry já estão esgotadas

Se houver demanda, viagens extras serão disponibilizadas; no Terminal Rodoviário de São Luís, movimento de passageiros deve aumentar apenas no dia 24; de 23 deste mês a 6 de março, 62,4 mil passageiros devem passar pelo aeroporto de SL

SÃO LUÍS ­ A crise econômica e o crescimento do desemprego fizeram a busca por passagens para o período carnavalesco diminuir este ano, em São Luís. A poucos dias do início oficial da folia, as empresas que operam as linhas interurbanas do Terminal Rodoviário de São Luís ainda não fizeram solicitação para viagens extras. Nos terminais de venda de passagens de ferry­boat, houve redução de 15%, mas ainda assim as passagens para o período já estão esgotadas. De acordo com as empresas que operam o serviço de travessia entre São Luís e o Porto do Cujupe, se houver demanda viagens extras, serão disponibilizadas, mas o passageiro deve chegar cedo ao terminal de embarque.

O fluxo de passageiros no Terminal Rodoviário de São Luís é de cerca de 60 mil pessoas por mês, mas esse número costuma aumentar durante o período carnavalesco, mas não é isso o que se observa até agora este ano. Segundo Gerson Jansen, responsável pela fiscalização da Agência de Estadual de Transporte e Mobilidade Urbana (MOB) no Terminal Rodoviário de São Luís, o movimento de passageiros no local deve aumentar apenas na sexta­feira, dia 24. “Até agora, ainda não recebemos pedidos para a colocação de viagens extras pelas empresas, mas até a sexta­feira o fluxo deve aumentar”, comenta.

A expectativa é que cerca de 20 mil passageiros a mais embarquem no terminal rumo a cidades como Bacabal, Pinderé, Balsas, Imperatriz e Barra do Corda, no interior do Maranhão. Em outros estados, cidades como Teresina e Parnaíba (PI), Belém (PA), Recife (PE) e Fortaleza (CE) estão entre os destinos mais procurados. “Em períodos comemorativos, a gente chega a registrar um fluxo médio de 1.500 a 1.700 passageiros por dia no terminal”, informa Gerson Jansen.

Ferry­boat

Mas não é apenas no Terminal Rodoviário de São Luís que a procura por passagens caiu em 2017. As empresas que operam o serviço de ferry­boat registraram vendas 15% menores. Entretanto, quem pretende viajar de ferry e não comprou a passagem antecipadamente terá de enfrentar a fila de espera para conseguir uma vaga em uma das viagens extras que as duas empresas que operam o transporte de passageiros entre os terminais da Ponta da Espera, em São Luís, e do Cujupe, em Alcântara, devem ofertar.

De acordo com Landrin Sandin Filho, engenheiro responsável pela Servi­Porto, uma das duas empresas que prestam o serviço, os bilhetes foram colocados à venda há dois meses para que os passageiros pudessem se antecipar e programar a viagem de fim de ano. “Mas os passageiros precisam ter em mente que o fato deles estarem na fila de espera não significa necessariamente que elas vão conseguir embarcar. As viagens extras têm uma quantidade limitada e dependem de uma série de fatores para serem realizadas”, explica.

Landrin Sandin Filho esclarece que as empresas não têm condições de realizar mais que quatro viagens extras por dia. “Sábado é o dia de maior pico de passageiros. Em 2016, à 1h, nós tivemos de colocar a primeira viagem extra, porque já tínhamos número de passageiro e veículos suficiente para isso. Por isso, o ideal é que quem não conseguiu comprar a passagem antecipada chegue o mais cedo possível no terminal de embarque”, orienta.

Um fator que pode influenciar na realização de viagens extras é a chuva, que não tem dado trégua nos últimos dias e pode comprometer a segurança da travessia. Outro fator, é que as empresas já têm uma programação e número fixo de viagens a seguir, independente do período do ano.

Aeroporto

Já no Aeroporto Marechal Hugo da Cunha Machado, a Empresa Brasileira de Administração Aeroportuária (Infraero), responsável pela administração do terminal aeroviário da capital, estima que entre 23 de fevereiro e 6 de março, 62,4 mil passageiros devem embarcar e desembarcar no Aeroporto Internacional de São Luís. Neste período, será reforçado o monitoramento dos aeroportos sob sua administração, intensificas as ações das equipes de limpeza, segurança e operações com o objetivo de garantir a fluidez nos procedimentos de embarque e desembarque de passageiros.

Além disso, é realizada a manutenção preventiva de equipamentos como esteiras e pontes de embarque. Funcionários com coletes amarelos “Posso Ajudar” também estarão circulando pelo terminal para esclarecer dúvidas dos viajantes.

 

 

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.