Flamengo conquista o terceiro titulo da copinha após vencer Corinthians nos pênaltis

 
Flamengo saiu atrás, mas contou com reação no segundo tempo diante do Corinthians. –Fernando Dantas/Gazeta Press

SÃO PAULO – O Flamengo mostrou todo seu poder de reação para buscar um empate e depois a virada nos pênaltis diante do Corinthians, na manhã desta segunda-feira, consagrando-se tricampeão da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Os gols do 2 a 2 foram marcados por Gabriel Vasconcelos e Matheus Pereira, para a equipe do Corinthians, enquanto Trindade e Matheus Sávio anotaram os tentos dos cariocas.

O triunfo consagra a boa campanha dos flamenguistas, que, assim como o Timão, não perderam nenhum jogo no tempo normal. Pelo lado dos alvinegros, os heróis durante os 90 minutos e boa parte da campanha acabaram sucumbindo nos pênaltis. Os goleadores Matheus e Gabriel desperdiçaram suas cobranças de forma displicente. Claudinho, nome da vaga na final, parou em boa defesa de Thiago.

O goleiro rubro-negro, por sinal, simbolizou a vitória. Após falhar feio no primeiro gol, ele conseguiu segurar o 2 a 2 no tempo normal e, nos pênaltis, defendeu três cobranças dos corintianos. Ainda perdeu o seu, mas nada que fosse capaz de tirar o título dos visitantes.

O jogo

Apesar da superioridade nos números, o Timão sofreu na etapa inicial. As três primeiras chances foram dos flamenguistas, ainda antes dos 15 minutos, mas o goleiro Filipe fez belas defesas nos chutes de Matheus Sávio e Cafu. Paquetá, que apareceu livre na área, se atrapalhou com a bola e não conseguiu chutar.

Foi a deixa para o Corinthians mostrar a sua principal virtude: a eficiência no aproveitamento das chances. Em uma das poucas vezes em que teve a bola sob seu domínio no ataque, aos 18, Léo Príncipe levantou bola na área, Gabriel Vasconcelos conseguiu dominar, girar para dentro e bater de esquerda. A bola saiu fraca, mas o goleiro Thiago pulou atrasado e não alcançou.

Aproveitando o embalo da torcida e o cada vez mais quente Pacaembu, a equipe logo abriu 2 a 0. Sete minutos depois do tento inaugural Dawhan roubou bola na defesa, Tocantins puxou contra-ataque pela esquerda e fez passe açucarado para Matheus Pereira. O meia bateu de primeira, cruzado, sem chances de defesa para Thiago, para delírio dos presentes.

Ainda assim, os cariocas não se entregaram. O problema foi que, mesmo com outras três chances claras, não conseguiram capitalizar antes do intervalo. Na primeira, Felipe Vizeu raspou na bola após cruzamento e ela ia para o gol, mas Paquetá entrou no caminho, se enroscou nela e mandou fraco, pela linha de fundo Deppois, o próprio Vizeu chegou batendo de primeira ao receber passe de Matheus Sávio, mas mandou para fora. Por fim, Arthur chutou de direita, a bola desviou em Dell’Amore e saiu em escanteio.

Logo aos dois minutos, Paquetá aproveitou sobra de bola na área e estufou a rede, mas o auxiliar marcou impedimento inexistente do flamenguista. Logo na sequência, porém, o gol saiu. Em novo escanteio, dessa vez Trindade apareceu livre e cabeceou com tranquilidade para o gol, diminuindo a desvantagem carioca.

E o que era derrota virou empate na sequência. Aproveitando-se de um ataque desordenado do Corinthians, com Léo Jabá perdendo bola, Cafu puxou contra-ataque e abriu na direita para Matheus Sávio. O meia tocou na saída de Filipe, que chegou a tocar na bola, mas não evitou a igualdade.

Depois de se assustar com a reação do adversário, o Timão conseguiu a calma necessária para voltar a pressionar. Osmar Loss, possesso, sacou Jabá e promoveu a entrada de Claudinho, herói da semifinal. Rápido e cheio de confiança, ele levou perigo pela direita e em chute da entrada da área, exigindo grande defesa de Thiago.

Mesmo empolgados com o ritmo animado da partida, os jogadores mostraram mais medo de perder do que vontade de ganhar nos 20 minutos que se seguiram até o apito final, contentando-se com os pênaltis. Nas penalidades, Maycon, Guilherme e Dawhan fizeram. Matheus Pereira tentou cavadinha e mandou por cima do gol, Gabriel Vasconcelos praticamente recuou e Claudinho parou em defesa do goleiro. Pelo campeão, Thiago Ennes, Ronaldo, Paquetá e Patrick fizeram, compensando os erros de Kleber e Thiago.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.