Fátima Araújo cria Projeto de Lei que vai combater aedes aegypti

Casos de doenças transmitidas pelo mosquito aedes aegypti ainda são frequente em São Luís. Conforme dados da Secretaria Municipal de Saúde (SEMUS), entre janeiro a abril de 2017 foram registrados 326 casos de dengue, uma diminuição significativa em relação aos primeiros meses do ano passando, com 1.699.

Mesmo com a redução, a vereadora Fátima Araújo (PCdoB) acredita que o combate ao mosquito na Capital deve se intensificado com o objetivo de erradicar o aedes. A parlamentar criou, com a ajuda da doutora Terezinha Rêgo, um projeto de lei que incentiva o cultivo de citronela e crotalária, plantas bastantes conhecida por efeitos repelentes, em casas, escolas, comércios, indústria e locais públicos.

Esse método natural foi implantado em vários municípios brasileiros como, Juiz de Fora (MG), Anápolis (GO), Dourados (PI) e Vitória (ES), mostrando eficácia no combate biológico no transmissor da dengue, zika e febre chikungunya.

De acordo com a vereadora, a Prefeitura de São Luís ficará responsável pela aquisição, distribuição e plantação das mudas às margens de rios e riachos, prédios e locais públicos, além da realização de campanhas mostrando os benefícios da citronela e crotalária no combate ao aedes aegypti.

“Com a implantação de programa teremos grandes chances de acabar com os casos de dengue, zika e febre chikungunya na cidade, porque o efeito repelente das plantas tem um bom raio de ação. Se espalharmos mudas por grande parte da cidade, vamos ter excelentes resultados”, afirmou Fátima.

O projeto de lei já foi encaminhado a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Municipal e, após tramitar na Casa, será encaminhando para sanção do prefeito.

A prevenção de doenças e a saúde dos moradores de São Luís são bandeiras defendidas fortemente pela vereadora Fátima Araújo no Legislativo Municipal.

Texto: Tarcísio Brandão

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.