Estudantes maranhenses participam da 14ª Olimpíada Brasileira de Matemática

Essa terça-feira (5) foi de muitos números e desafios matemáticos para os mais de 800 mil estudantes maranhenses inscritos na Olimpíada Brasileira de Matemática (OBMEP).

Em sua 14ª edição a OBMEP, que é a maior olimpíada estudantil do país, reúne estudantes de todos os estados brasileiros e foi criada com o intuito de estimular e testar o raciocínio lógico e o pensamento matemático dos estudantes.

No Maranhão, 845.817 estudantes de 4.011 escolas públicas e privadas se inscreveram para participar dessa 1ª etapa da olímpiada, com provas que foram realizadas nos turnos matutino e vespertino.

No Centro Educa Mais Jornalista João Francisco Lisboa (Cejol), toda a comunidade escolar foi mobilizada para participar dessa primeira etapa, o que resultou em 1.728 estudantes inscritos. Quantitativo que representa 100% dos alunos do Centro Educa Mais envolvidos no exame.

Para o professor de Matemática, Napoleão Campos Sobrinho, coordenador da OBMEP do Cejol, a Olímpiada de Matemática oportuniza a melhoria dos conhecimentos dos estudantes na disciplina, além de fomentar a aplicação da Matemática no seu dia a dia.

Napoleão Sobrinho conta ainda que, as expectativas quanto ao desempenho dos estudantes do Centro de Ensino no exame são as melhores possíveis, já que têm sido realizados, desde o início do ano, aulas de reforço durante os sábados letivos e aplicada uma série de exercícios que foram sendo discutidos ao longo dessas aulas preparatórias.

Segundo o professor, esses momentos de acompanhamento são promovidos, inclusive, para que os estudantes estejam mais preparados para participarem de outros seletivos para ingresso em instituições de ensino superior, como o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), UEMA e vestibulares de faculdades particulares.

“Nós estamos com as melhores expectativas, tivemos alguns reforços para os alunos e começamos essa preparação os incentivando bastante e informando o quão seria importante participarem dessa atividade. Desde o início do ano trabalhamos direcionados, temos uma equipe de professores que trabalha com estudantes que irão fazer provas de modo geral, dentro e fora da sala de aula, direcionados para os mais diversos exames”, conta Napoleão.

Para o estudante da 3ª série do Ensino Médio do Cejol, Hélio Pinho, 17 anos, que já participa da OBMEP desde o primeiro ano do Ensino Médio e pretende se formar em Engenharia Mecânica, a Olimpíada é bastante importante pois auxilia os estudantes, a medir sua capacidade e a preparação promovida pela escola estimula o desenvolvimento na disciplina Matemática.

“Todo o meu percurso escolar sempre foi em colégio público e é bem importante essa preparação porque nós vemos como é que estamos nos desenvolvendo na disciplina. A Matemática é muito importante tanto no cotidiano quanto para quem deseja cursar um superior através dessa disciplina. Nas outras edições eu não tive muito êxito, mas dessa vez eu me preparei mais, e espero uma melhor pontuação”, afirma o estudante.

Já a estudante da 2ª série, Maria Emannoelly Boueres vê na OBMEP um incentivo e uma valiosa preparação para os exames de instituições de ensino superior de todo o país.

“A Matemática é muito importante para a nossa carreira, independente do que vamos cursar, pois sempre vamos nos deparar com situações em que vamos precisar desse entendimento. Quis participar da OBMEP também por conta do ENEM, sabemos que sempre tem alguma coisa que cai nessas olimpíadas que são preparatórias para o exame, então temos que estar por dentro de tudo”, completa a estudante.

No Centro de Ensino Benedito Leite (Escola Modelo), mais de 900 alunos participaram da olimpíada e, segundo o gestor adjunto do CE, Loneliarth Mendonça, o formato em que as questões são aplicadas no exame foi um dos fatores que mais chamou a atenção dos estudantes, pois os desafia a ampliarem seus conhecimentos acerca de competências que transcendem o contexto escolar.

“As questões da OBMEP têm um formato um pouco diferente das questões que eles fazem na rotina da sala de aula, e vendo isso eles começam a questionar o conteúdo. Despertar esse senso crítico para que eles observem que o conteúdo pode ser explorado de uma forma mais próxima do cotidiano é gratificante para nós. Fazer o estudante instigar seus conhecimentos é um retorno muito agradável dentro do trabalho que a gente pode realizar”, fala Loneliarth Mendonça.

Foi esse desafio que fez com que a estudante da 3ª série do Ensino Médio da Escola Modelo, Inara Diniz, participasse pela segunda vez da olímpiada e ela, também, pretende usar essa experiência como preparação para outros exames.

“Esse foi o segundo ano que eu fiz, e esse ano foi melhor até porque agora a gente tem mais experiência com a prova. Fiz a OBMEP para ter mais conhecimentos, me aprofundar mais, pois estou me preparando para o Enem e para a UEMA e é muito importante a gente entender mais para chegarmos mais preparados nessas outras provas”, conta Inara.

A divulgação dos classificados para a 2ª fase da olímpiada e o local de realização das provas, acontece no dia 13 de agosto. Já as provas da segunda etapa acontecem em 15 de setembro.

A OBMEP no Maranhão

A participação de estudantes inscritos em todo o estado do Maranhão, este ano, teve um aumento na ordem de 6,95% em relação ao quantitativo de participações em 2017.

Na Unidade Regional de Educação de Imperatriz, 13.671 alunos do Ensino Médio, da rede pública estadual de ensino, participaram das avaliações da Olimpíada Brasileira de Matemática.

“Todas as 37 escolas e anexos, dos 15 municípios que compõem a URE de Imperatriz, estão inscritos na OBMEP deste ano. Todos os alunos da 1ª, 2ª e 3ª séries do Ensino Médio, em nossa Regional, estão participando desta primeira fase, além dos alunos de Ensino Fundamental do Colégio Militar Tiradentes II”, destaca a gestora URE de Imperatriz, Profa. Dra. Orleane Evangelista de Santana.

Para Victor Gabriel Seabra Jardim, estudante da 1ª série, do Ensino Médio, do CE Dorgival Pinheiro de Sousa (URE de Imperatriz), a OBMEP é mais uma oportunidade de aprendizado da Matemática.

“A prova da OBMEP traz mais conhecimentos para nós, ajuda muito nos cálculos matemáticos. Não achei difícil a avaliação, mas é preciso raciocínio e atenção para resolver as questões. Espero me sair bem nesta primeira etapa, porque sei que é preciso o empenho do aluno para conseguir um bom resultado”, conclui o estudante.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.