Estudante de Direito é suspeito de comandar roubos de cargas no Piauí e no Maranhão

A polícia civil do Piauí informou nesta segunda-feira (7) que a quadrilha presa no sábado (5) por realizar roubos de cargas no Piauí e no Maranhão era comanda por um estudante de Direito de uma faculdade particular de Teresina. O delegado Willame Moraes, coordenador Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), disse que o jovem de 20 anos arquitetou e realizou o roubo de dois caminhões.

Segundo Willame, os crimes aconteceram na cidade de Valença e Elesbão Veloso, no Sul do Piauí. Os veículos estavam carregados de produtos alimentícios, aparelhos eletrônicos, eletrodomésticos e utensílios de cozinha. Segundo ele, a carga de alimentos estava avaliada em R$ 130 mil e a segunda carga roubada o delegado estima valer entre R$ 200 mil e R$ 300 mil.

“Este rapaz juntamente com seu bando ia para postos de combustíveis e observavam quais os caminhões estavam com pneus baixos por conta de peso. Assim, no dia 4 de julho, na cidade de Valença do Piauí, eles roubaram produtos alimentícios de um estabelecimento comercial. E no dia 1º de agosto voltaram a cometer o mesmo crime roubando eletrodomésticos e utensílios de cozinha dentro de um caminhão de um supermercado”, contou.

A polícia chegou ao universitário depois de prender quatro homens em Água Branca, na sexta-feira (4), com eles foi achada parte da carga. O universitário foi preso no ano passado no Maranhão suspeito de cometer o mesmo crime. Todos os outros também já tinham passagem pela polícia por roubo. Um dos presos usava tornozeleira eletrônica e outro era foragido do sistema prisional do Piauí.

“O responsável pelo grupo conseguiu fugir e montamos um esquema para prendê-lo. O que conseguimos fazer já na madrugada de sábado. Quando foi preso, ele revelou que tinha realizado o roubo de uma carga de eletrodomésticos e que a carga estava escondida num sítio cidade Timon, no Maranhão. Pedimos apoio à polícia do estado vizinho e encontramos toda carga escondida no sítio”, acrescentou.

Ainda de acordo com delegado, o proprietário do sítio foi preso por associação criminosa e os outros por roubo de carga. A polícia já sabe quem seria os receptadores do material apreendidos.

“Eles estavam com carga escondida, mas já tinham a pessoa que receberia. Infelizmente, quem encomenda este tipo de crime são comerciantes e estamos procurando provas para comprovar a participação deles. Se conseguirmos eles serão autuados por associação criminosa e receptação”, explicou.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.