Em São Luís, mulher perde mais de R$ 2 mil após cair no “golpe do falso médico”

Nesta quarta-feira (14), uma ouvinte da rádio Difusora FM denunciou ao programa Repórter Difusora que foi vítima de um golpe na última segunda-feira (12). Ela diz ter sido abordada por meio de ligação, na qual um homem, afirmando ser médico de um hospital particular da capital, a convenceu a realizar um depósito no valor de R$2.300, que seria utilizado para pagar um medicamento manipulado para o seu avô, que se encontra internado no mesmo hospital.

Identificada como D.M.M, a vítima do golpe afirma que o avô está sendo tratado após apresentar um quadro de pneumonia, com suspeita de metástase. Na segunda-feira, ele se submeteu a alguns exames, cujo resultado estava previsto para sair antes do meio-dia, horário em que ela recebeu a ligação.

Ela aponta ainda que o suspeito que falou com ela pelo telefone apresentou diversos detalhes do quadro clínico do seu parente hospitalizado. “Ele citou até o número da carteira do plano de saúde e sabia até o nome da acompanhante que estava com meu avô naquele momento”, diz ela, que afirma que a riqueza de detalhes a convenceu de realizar a transferência do valor.

O medicamento manipulado seria ministrado porque, na ligação, o suspeito apontou que “os antibióticos ministrados não estavam sendo suficientes” para o tratamento. Também foi repassado a ela que o valor seria reembolsado pelo plano de saúde. “Fiz a transferência e me dirigi ao hospital, como havia combinado com o tal médico”, diz ela, que aponta que este foi o momento em que descobriu que a situação se tratava de um golpe.

A mulher registrou um Boletim de Ocorrência na primeira Delegacia de Polícia, no centro de São Luís. O caso foi registrado e deve ser investigado pela nona Delegacia de Polícia.

Posicionando-se sobre o caso, o hospital UDI emitiu a seguinte nota:

O hospital sempre alerta que nenhum tipo de cobrança é feita por telefone e tem como política dar respaldo e responder a todas as queixas nesse sentido. Por precaução e segurança, o hospital entrega informativos detalhados sobre os riscos e orientações de prevenção a todos os pacientes no momento da internação, além de fixar comunicados nas recepções e nos apartamentos. Informa ainda que está tomando medidas legais cabíveis junto às autoridades competentes.

Golpe do “falso médico”

Não foi confirmada relação desse caso com a prisão realizada no dia 8 deste mês, no qual foi preso em flagrante delito Maycon Douglas Araújo Almeida (23 anos), que junto a comparsas que estão custodiados no presídio de Mata Grande, no estado do Mato Grosso, aplicava um golpe em pessoas que estavam com familiares internados em estado grave em hospitais particulares de renome. Através de contato telefônico, eles fingiam ser médicos para solicitar o pagamento para a realização de exames e procedimentos em caráter de urgência, alegando iminente risco de morte.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA) informou que as investigações que resultaram na prisão de Maycon, na última semana, em Rondonópolis (MT), estão sendo coordenadas pela polícia Civil do Mato Grosso. A Polícia Civil do Maranhão está auxiliando nas investigações e na identificação de possíveis vítimas no estado. “A SSP ressalta que a Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic) já identificou três possíveis vítimas da quadrilha no Maranhão”, aponta a secretaria, apontando que o caso da ouvinte da rádio Difusora FM ainda é desconhecido pela equipe da Seic.

“A Polícia Civil pede que as prováveis vítimas do caso relatem o crime na Superintendência, em São Luís, para que as denúncias sejam anexadas ao inquérito”, aponta a SSP.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.