Em S. José de Ribamar :Profissionais da saúde denunciam calote de empresa contratada pelo prefeito Luís Fernando

O ano 2018 não começou bem para os profissionais da área de saúde do Município de São José de Ribamar, Região Metropolitana de São Luís.

No inicio da manhã desta quinta-feira (4), os sindicalistas do Sindsaúde, Sintema, e Força Sindical, promoveram manifestações em frente à única maternidade publica  municipal.

Os profissionais contratados pela empresa (Vitale), entre eles, Técnicos e Auxiliares de enfermagem reivindicam pagamentos de rescisões contratuais. Muitos destes profissionais não receberam o 13º salário e nem o salário atual, afetando até mesmo parte dos servidores públicos que deveriam receber os seus vencimentos até a quarta-feira (20-12/2017).

Revoltada com a situação, a técnica em Enfermagem, Lugnani disse que faz mais de quatro meses que ela não ver a cor de seu dinheiro.

“É um descaso e muita falta de irresponsabilidade do Prefeito Luís Fernando Silva, em não tomar nenhuma atitude e muito menos prestar qualquer esclarecimento sobre essa grave situação”.“Trabalhamos com vidas, isso é falta de respeito com os moradores”. Reclamou a enfermeira.

A situação piora ainda mais quando o prefeito da cidade, se nega a prestar esclarecimentos  sobre o dinheiro  que ainda não depositou  na conta profissionais que prestaram serviços para a prefeitura , adotando uma medida radical contra os pais de família e a população doo município, que deve ficar sem atendimentos por conta  da falta de responsabilidade e compromissos de campanha .

As entidades, funcionários da empresa e servidores do município, acusam Luís Fernando de descaso com a saúde do município, ainda revoltados com o atraso dos salários e o 13º que não recebem.

Na passeata, os manifestantes afirmaram que a falta do 13º  também prejudica o comércio local .

Até o momento o executivo não apresentou dados satisfatórios sobre o orçamento da saúde do município, nem da administração como um todo, e nenhuma auditoria nas contas  da prefeitura foi apresentada.

A empresa contratada pelo prefeito Luís Fernando,  também foi acusada pelos funcionários de aplicar um sonoro calote em centenas de trabalhadores, deixando de pagar salários, décimo terceiro e rescisões contratuais

Por Mauro Garcia

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.