Em Ribamar, vereadores  pagam ‘consultorias’ da mesma advogada com verba indenizatória

Lazaro, Lindoso e Monroe justificam despesas com a mesma advogada

Os vereadores da Câmara Municipal de São José de Ribamar gastaram ao longo de 2015 quase R$ 350 mil da verba indenizatória com a contratação de advogados. O valor é apenas mais uma despesa para o bolso do contribuinte ribamarense para pagar regalias dos ‘representantes do povo’ na Casa de Leis. As verbas indenizatórias são recursos públicos distribuídos aos vereadores para custear a atividade parlamentar, como passagens aéreas, telefone, correio, consultorias, combustível, divulgação, aluguel de escritórios políticos, dentre outros. Os valores somam R$ 6 mil para cada um dos dezessete representantes.

Documentos fiscais enviados anonimamente ao blog do Antônio Martins mostram que a advogada Janice dos Santos Costa, assinou recibo no valor de R$ 2 mil para justificar despesas de cinco vereadores, em abril daquele ano, para prestação de serviço de assessoria jurídica.

Dos cinco parlamentares, três conseguiram renovar o mandato entre eles Jose Lazaro Costa, o Lazaro (PV); José Penha Lindoso, o J. Lindoso (PSC); e Marlene Monroe Machado (PTB). Os outros dois são Henrique José Ramos da Silva, o Henrique Queen (PDT) e Waldilson Cesar Vieira da Silva, o César Vieira (PSDC), que não garantiram a reeleição, mas aparecem nos registros das despesas.

Embora as justificativas de despesas não conste a apresentação do contrato da prestação de serviço, a advogada ‘faturou’, no mesmo mês, o equivalente a R$ 10 mil, sendo R$ 2 mil de cada um dos cinco vereadores. Os recursos saíram dos cofres públicos a título de “consultoria ou assessoria jurídica”, um dos itens permitidos para uso da verba indenizatória de R$ 6 mil a que eles têm direito todos os meses.

‘JORNALISTA’ DO BOLSA FAMÍLIA
A contratação da mesma advogada pelos cinco vereadores, com uso da verba indenizatória, não é o único caso que surpreende aos que analisam a prestação de contas da Câmara com as justificativas de despesas dos edis. O caso mais bizarro é o uso de recibos de beneficiários do Bolsa Família para justificar despesas com a divulgação do mandato. Amanhã o blog revela o nome do ‘jornalista’ que já foi acusado pela justiça eleitoral de ser ‘laranja’ em doações de campanha na mesma cidade. Aguardem!

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.