Em audiência, acusado da morte de maranhense não se pronuncia

 

 

Essa foi a última audiência de instrução do caso

 

 

Na última terça-feira (17), foi dado prosseguimento à terceira e última audiência de instrução da morte do dj maranhense Yago Sik (23 anos), que foi assassinado na saída de uma festa no Distrito Federal, em 2 de julho deste ano. A sessão começou às 15h50 e foi suspensa logo em seguida, já que a defesa dispensou o depoimento das duas últimas testemunhas. Lucas Albo de Oliveira (22 anos), o acusado, compareceu à audiência mas não se pronunciou.

Ao todo, nove testemunhas foram ouvidas. O próximo passo, após a abertura de vista para as alegações finais do Ministério Público e da defesa, será a sentença de pronúncia, onde o juiz decidirá pela pronúncia, impronúncia, desclassificação ou absolvição sumária do acusado. Caso o réu seja pronunciado, Lucas irá a julgamento popular.

Lucas Albo deve ser condenado por homicídio triplamente qualificado, com pena de 12 a 30 anos. Os agravantes são motivo torpe, recurso que dificultou a defesa da vítima e perigo comum, já que os disparos foram efetuados no meio de uma multidão. Além disso, o suspeito também foi acusado de lesão corporal contra a ex-namorada e porte ilegal de arma de fogo.

 

Relembre o caso

Na madrugada de 2 de julho, um domingo, ao ver a discussão entre Lucas Albo de Oliveira e a ex-namorada, Yago Linhares tentou intervir e eles brigaram dentro da festa. O acusado buscou uma arma em sua casa e esperou o DJ na saída do Conic, onde havia grande aglomeração de pessoas. A vítima foi morta com três tiros.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FONTE: MA10

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.