Em 2016, Maranhão registra mais de oito mil empresas abertas na Junta Comercial

A constituição de empresas no Maranhão cresceu em 2016. Segundo o relatório estatístico da Junta Comercial do Maranhão (Jucema), foram abertas 8.558 empresas de natureza jurídica variada, com exceção do Microempreendedor Individual (MEI), entre os meses de janeiro e dezembro de 2016. Um incremento de 0,38% em relação ao mesmo período do ano anterior, que registrou 8.496 processos de abertura.

Na estratificação por mês, o relatório da Jucema aponta que dezembro contou com os melhores resultados nos registros empresariais. No total, 849 empresas foram abertas contra 526 em 2015, uma alta de 61,41% que deu ao último mês do ano o recorde de constituições.

Dividindo por segmento, o setor de comércio foi o que apresentou a maior quantidade de constituições na Jucema, com abertura de 4.610 novos negócios. A segunda maior fatia do mercado é fomentada pelas variáveis do setor de serviços com 2.934 empreendimentos constituídos. As áreas de obras e construções vêm em seguida com 449 registros de abertura.

Já com relação às naturezas jurídicas registradas na Junta, a categoria Empresário é a que conta com maior número de novos cadastros, com 4.591 formalizações, seguida da Sociedade Limitada com 2.636 constituições e Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (Eireli) com 789.

Na avaliação do presidente da Jucema, Sérgio Sombra, os números positivos mostram que a situação econômica brasileira não desencorajou os empreendedores maranhenses a abrirem seu próprio negócio. Segundo ele, entre os fatores favoráveis que impactaram de modo positivo no surgimento de novos negócios estão um melhor ambiente de negócios no estado aliado a menor burocracia na hora de abrir uma empresa. “Programas como o ‘Mais Empresas’, ‘Mais Emprego’, ‘Mais Produção’ e ‘Mais IDH’ são iniciativas estratégica para esse crescimento”, acrescentou.

A facilidade de acesso aos serviços através do sistema Empresa Fácil e a expansão das unidades descentralizadas da Junta Comercial também são destacados pelo presidente como fatores determinantes para os resultados. “As ações de desburocratização que vêm sendo implantadas pelo órgão e a política de incentivo ao empreendedorismo gerenciada pelo governo estadual contribuíram decisivamente nesse processo”, reforçou Sérgio Sombra.

Em 2016, de acordo com ranking produzido pela Receita Federal, o Maranhão é quinto melhor estado do país em relação à implantação da Redesim, que observa o ambiente desburocratizado de registro e legalização empresarial.

Segundo Sérgio Sombra, a perspectiva, para este ano, continua positiva já que a Jucema pretende expandir os serviços para outros municípios e intensificar o trabalho de desburocratização em todas as suas unidades. “O que queremos é atender os usuários de forma simplificada, facilitando, assim, a abertura de novos negócios. Essas são práticas diárias que estão dando resultados”, ressaltou o presidente.

Atualmente, a Jucema tem 19 escritórios regionais no interior do Maranhão e em São Luís, além da sede, três unidades nos Vivas Beira-Mar, Shopping da Ilha e Shopping Pátio Norte. Todas as unidades descentralizadas da Jucema estão aptas a fazer o registro e legalização dos atos das empresas.

Fomento ao empreendedorismo

Desde o ano passado que as constituições, alterações e baixa de empresas passaram a ser feitas exclusivamente pelo programa Empresa Fácil Maranhão, sistema gerenciado pela Junta Comercial, que integra as informações entre os vários agentes envolvidos nas licenças.

Outra iniciativa é a Caravana do Empreender que aproxima ainda mais os serviços da Junta Comercial dos empreendedores que desejam formalizar o seu negócio, ao levar para os bairros da capital e do interior, serviços e orientações sobre registro de empresas e empreendedorismo.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.