Direitos Humanos emite nota de repúdio contra deputado Fernando Furtado

 Fernando Furtado já recebeu repúdio de outras entidades ligadas a defesa dos direitos humanos

Fernando Furtado já recebeu repúdio de outras entidades ligadas a defesa dos direitos humanos

A Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa emitiu nota na manhã desta quinta-feira, 24, repudiando as declarações do deputado do PCdoB, Fernando Furtado sobre indígenas e homossexuais durante evento na cidade de São João do Curu em julho deste ano. Além de ofender índios e homossexuais, o deputado comunista também atacou a Igreja Católica.

O caso de Fernando Furtado e sua postura preconceituosa ganhou repercussão nacional e obrigou o PCdoB a emitir nota exigindo retratação do parlamentar, que também emitiu nota oficial se desculpando pelo episódio em que chamou índios de “boiolas” dizendo que eles merecem morrer.

Nota da Comissão de Direito Humanos da Assembleia Legislativa

A Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e das Minorias da Assembleia Legislativa do Maranhão, reuniu na manhã desta quinta-feira (24/09) e vem à sociedade maranhense tornar público que repudia as declarações do Deputado Estadual Fernando Furtado (PC do B), membro desta Casa, designadas de forma ofensiva aos povos indígenas e homossexuais, durante Audiência Pública, realizada dia 04 de julho deste ano, em São João do Caru, conforme veiculadas através de áudio na imprensa e nas redes sociais.

Lamentamos o ocorrido e ressaltamos que a atitude deste parlamentar não condiz com a defesa dos direitos humanos e das minorias sociais assegurados na Constituição. A postura ofensiva do parlamentar atinge também os homossexuais que, assim como os povos indígenas, são sujeitos de direitos e cabe a esta Casa e à sociedade respeitá-los, assegurá-los e protegê-los e não difamá-los, agredi-los como procedeu o parlamentar.

Ao se referir de forma ofensiva à etnia indígena awa-guajá e aos homossexuais o parlamentar atinge todas as comunidades indígenas que fazem parte da formação do povo brasileiro e maranhense e a população LGBT que tem o seu reconhecimento como cidadãos de direito e, portanto, merecem ser respeitados.

São Luís, 24 de setembro de 2015

Dep.Zé Inácio

Presidente da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e das Minorias

Assembleia Legislativa do Maranhão

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.