Depoimento de Lula: esquema de segurança terá 1.000 PMs

Fonte R7

Quatro meses após falar cara a cara com o juiz Sérgio Moro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva volta a Curitiba (PR) nesta quarta-feira (13) para mais um depoimento.

Desta vez, ele terá que dar explicações à acusação de ter recebido da Odebrecht um apartamento em São Bernardo do Campo e um terreno para construção do Instituto Lula.

O ex-presidente se recusou falar por videoconferência. Com isso, será montado um esquema semelhante ao do depoimento de maio.

A audiência está marcada para às 14h.

A previsão da Polícia Militar é de que cerca de 1.000 agentes participem da segurança nos arredores da Justiça Federal, no bairro do Ahú.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública do Paraná, as áreas onde a circulação de carros será bloqueada serão menores do que da última vez.

Porém, uma segunda área, maior, será controlada pelos policiais. Se houver necessidade, poderá haver bloqueios dentro desse perímetro mais extenso.

Moradores da região que forem sair de carro nesta quarta-feira estão sendo orientados a levar documento com foto e comprovante de residência para facilitar a liberação do acesso nas áreas onde haverá policiamento.

Movimentos sociais preveem uma programação extensa em Curitiba nesta quarta-feira.

Às 15h, está previsto um ato na praça Generoso Marques, no centro de Curitiba. No começo da noite, o ex-presidente deverá discursar no local, acompanhado de políticos e apoiadores.

O frio e a chuva na tarde em que Lula depôs pela primeira vez afastaram muitos militantes petistas das ruas, assim como grupos contrários ao ex-presidente.

Porém, nesta quarta, a previsão é de tempo aberto e temperatura na casa dos 29°C.

Também é esperada aglomeração de pessoas no entorno da Justiça Federal. A PM vai impedir o acesso na área externa do edifício. Somente a imprensa e moradores circularão no perímetro mais restrito.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.