Defesa Civil registra pontos de alagamento e desmoronamento em São Luís

As fortes chuvas que abalaram São Luís nas primeiras horas da manhã desta segunda-feira (16) causaram uma série de transtornos em toda a cidade. De acordo com a Defesa Civil Municipal, foram registrados oficialmente alagamentos em quatro bairros – Vala da Macaúba, Planalto Vinhais, Quintas do Calhau e Parque Athenas, além de uma inundação no Jaracaty e desmoronamento na Cohama. Segundo nota da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp), equipes da Defesa Civil estão desde cedo nas ruas identificando os pontos onde existe acúmulo de água para adotar medidas necessárias.
Nas últimas 24 horas choveu em São Luís o equivalente a 86mm. A instabilidade atmosférica mais intensa, formou nuvens carregadas, que resultaram no temporal, acompanhado de trovoadas e rajadas de ventos. O temporal desta segunda-feira fez o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) publicar aviso de perigo alertando para chuvas fortes em São Luís, com ventos intensos, além de riscos de alagamentos e de descargas elétricas. Até maio, a capital deverá registrar mais chuvas intensas.
De acordo com o núcleo de meteorologia da UEMA, as nuvens mais carregadas já seguiram em direção ao mar. Abril é o mês que mais chove na região norte do Estado. As estimativas é que chovam cerca de 476mm e até agora já choveu 274mm. No interior do Maranhão, a situação também é preocupante. Segundo levantamento da Defesa Civil do Estado, são 20 municípios atingidos pelas fortes chuvas, sendo que 11 decretaram estado de emergência e seis estão em alerta.
Além dos danos registrados pela Semosp, os estragos causados pelas chuvas parecem se multiplicar. O muro de um condomínio na Ponta D’areia cedeu, danificando a estrutura do condomínio vizinho. Boa parte da quadra ficou destruída. Ninguém ficou ferido.
Muro do condomínio cedeu com as chuvas
Destruição prejudicou dois condomínios. Foto: Raíza Carvalho
A recomendação da Secretaria Municipal de Segurança com Cidadania (Semusc) é de que a população informe os danos por meio do número de emergência 153.
A nota da Semosp reitera ainda que “continua investindo na ampliação do sistema de drenagem da cidade, com a construção de canais, galerias e redes de escoamento superficial, priorizando as áreas de inundações recorrentes. A Secretaria comunica ainda que executa serviços preventivos de limpeza de canais e desobstrução de galerias, mas que, em muitos desses locais, costumam ser encontrados volumes excessivos de lixo, que prejudicaram o escoamento das águas durante as fortes chuvas como a registrada desde as primeiras horas da manhã desta segunda-feira (16), tendo chovido até às 9h 40mm na região da Uema, 84mm na região Itaqui-Bacanga e 86mm na região do Itapiracó. A Semosp pede a colaboração da comunidade na manutenção dos espaços públicos, evitando o descarte irregular de resíduos”, diz a nota.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.