CSI apresenta relatório à Corregedoria

A Comissão Sentenciante Itinerante (CSI), instituída pela Corregedoria Geral da Justiça do Maranhão apresentou à corregedora-geral, desembargadora Anildes Cruz e aos juízes auxiliares da Corregedoria na última sexta-feira, um relatório de sua atuação em 2016. No documento, a Assessora de Administração da Comissão, Hayla Castelo Branco, relata que os trabalhos da CSI iniciaram-se no mês de março/2016 com atuação na 1ª, 2ª e 3ª varas cíveis da Capital, sendo analisados nesse espaço de tempo o total de 4970 processos, o que resultou em 1985 sentenças, 507 decisões diversas e 2568 despachos, todos devidamente movimentados no Sistema Themis PG e publicados no DJE.

Consta no relatório que “a Comissão realizou também um trabalho de esforço concentrado na Vara Especial de Combate à Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher, que constituiu na análise processual, apoio as atividades de secretaria e organização do espaço físico da unidade, proporcionando ao jurisdicionado um ambiente mais agradável e funcional aos servidores e jurisdicionados”. E ao final entregou uma proposta com sugestões para enfrentamento dos problemas apresentados na unidade judicial.

Foi iniciado em 21 de novembro de 2016 os trabalhos da Comissão Sentenciante na 2ª Vara da Fazenda Pública da Comarca da Ilha de São Luís com permanência de 60 (sessenta) dias, que poderão ser prorrogados por determinação da Corregedora-Geral de Justiça por mais 30 dias. Até a presente data foram encaminhados um total de 333 processos para a Comissão Sentenciante Itinerante, que serão impulsionados ou julgados, bem como realizadas as movimentações no sistema Themis PG e publicados no Diário da Justiça Eletrônico.

“A diretoria do Fórum não mediu esforços para dar todo o apoio necessário para a Comissão desenvolver as atividades propostas para a unidade judicial. Colocamos à disposição a estrutura das divisões de serviços gerais, material e patrimônio, informática, arquivo, coordenadoria administrativa, entre outras, sendo prontamente atendidas todas as solicitações. Nós também disponibilizamos um servidor para inventariar todo o material enviado para arquivo, e finalizada esta atividade, continuamos contribuindo em várias atividades dos mutirões, com destaque para a juntada de petições”, esclareceu o juz Sebastião Bonfim, diretor do Fórum de São Luís.

Além de seu objetivo principal que é apoiar a justiça de 1ª grau no enfrentamento do aumento da demanda judicial, a CSI desenvolveu ações de cunho organizacional, necessárias para enfrentamento das demandas nas unidades judiciais, dentre as quais, o impulsionamento dos acervos, implementação de plano de ação para diminuir demandas reprimidas nas secretarias judiciais, valorização do capital humano através de treinamentos, sugestões técnicas para mudanças organizacionais que contribuíram significativamente para melhorias do trabalho em equipe e que refletirão em maior celeridade e produtividade nas unidades judiciais.

A corregedora-geral da justiça, desembargadora Anildes Cruz, ressaltou a importância da atuação da CSI nas unidades judiciais mais congestionadas. “Os trabalhos de redução de processos conclusos, mas sem julgamento, exige uma atuação constante da Corregedoria através de instrumentos, como a CSI”, enfatizou a corregedora.

COMPOSIÇÃO DA CSI – A Comissão é coordenada por um Juiz Titular e composta por outros 03 (três) juízes auxiliares designados pela Corregedora Geral da Justiça e por mais 11 (onze) servidores, assim elencado: Coordenador da Comissão: juiz e Diretor do Fórum, Sebastião Joaquim Lima Bonfim; Juízes Auxiliares da Capital: Clésio Carvalho Cunha, Gustavo Henrique Silva Medeiros e Lorena de Sales Rodrigues Brandão; Secretaria Judicial da Comissão Sentenciante Itinerante e Coordenadora de Planejamento e Aprimoramento da Justiça de 1º Grau: Rosália do Socorro Araujo Braga de Andrade; Servidores: Ana Chaveline de Melo Silva (Auxiliar Judiciária), Bernardina Celestina Pires Mendonça (Assistente de Informação), Cláudio Márcio Lima Bezerra (Analista Judiciário), Gisele Soares Pereira Ferreira (Técnica Judiciária), Hayla Vanessa Araujo Castelo Branco (Analista Judiciária), Liriam Tiyoko Samizawa (Assessora de Juiz), Marly Soares (Assistente de Gabinete), Ricardo Felipe Costa Nunes (Assessor de Juiz), Toni Frazão Ramos (Secretário de Administração) e Taíse de Alencar Maia Pachêco (Assessora de Juiz).

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.