Catequista é executado por engano com seis tiros

O flagrante foi registrado na Avenida Vereador Fernandes, no Bairro Maria Eugênia, no fim da tarde desse sábado, 29. De acordo com a Polícia Militar, a vítima é Guilherme Santos de Assis, de 25 anos, e foi atingido por seis tiros. Ele não seria o alvo dos criminosos.

Quem estava na mira do atirador seria o primo dele, Gleidson Barbosa de Assis, morador do prédio e apontado como integrante de uma gangue. Aos policiais, Gleidson contou que Guilherme  foi ao local entregar alguns salgados para ele. Após entregar a encomenda, ele pediu uma água e permaneceu do lado de fora da portaria do residencial. No retorno com água, a Gleidson viu um rapaz atravessar a rua, sacar a arma e já começar a atirar na direção deles. Nesse momento, ele correu e não viu mais nada.

Outros moradores que também viram o assassinato, contaram aos militares, que depois que Guilherme caiu ao chão, o suspeito ainda tentou alcançar o primo dele, mas desistiu. Voltou e efetuou mais alguns disparos na vítima caída. Disseram ainda que havia um carro prata, onde mais três comparsas davam cobertura ao atirador. Logo após o crime, eles fugiram em alta velocidade.

Segundo os policiais, dois homens envolvidos no crime foram presos. Eles disseram que foram até o local para matar Gleidson, que integraria uma gangue rival.

Comoção nas redes sociais

Na página de Guilherme no Facebook, ele se apresenta como catequista. Várias pessoas deixaram mensagens de sentimento e revolta com o crime na página dele.

“Até quando vamos aceitar o crime impor sentenças de morte a pessoas inocente?”, questionava um.  “Meu Deus como está difícil esse mundo, estamos vendo as pessoas de bem indo embora de uma forma tão brutal, muito triste.”,

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.