Castelão e Nhozinho Santo são avaliados pelo Ministério do Espote

Ministério do Esporte avalia estádios do país, e Castelão e Nhozinho Santos recebem notas

Estádio Castelão passou por uma readequação feita pela CBF

SÃO LUÍS – O Ministério do Esporte lançou, nessa quarta-feira (27), um sistema que tem como finalidade propor melhorias, que visam melhorar segurança, conforto, acessibilidade e condições sanitárias em todos os estádios do país. O Sistema Brasileiro de Classificação de Estádios (Sisbrace), em uma primeira rodada de vistorias, inspecionou, em 129 cidades, 155 dessas praças esportivas todo o território nacional, e o Estádio Castelão e o Nhozinho Santos – os dois de São Luís – também receberam suas notas. A classificação é representada pelas “bolas”, uma espécie de “estrela” como acontece com hotéis. O Castelão, que aparece na pesquisa com o seu nome oficial, João Castelo, ganhou três bolas e o Gigante da Vila Passos, que segue interditado desde o ano passado, duas. A nota máxima tem cinco bolas.

O Castelão, que, recentemente, passou por uma readequação feita pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), agora, tem 105 metros de comprimento por 68 metros de largura. Antes, era de 110 metros de comprimento por 75 metros de largura. O estádio foi incluído em um programa da entidade, que investiu R$ 2,2 milhões para padronizar 43 estádios, que recebem jogos dos principais campeonatos do país. O estádio Governador João Castelo foi avaliado pelo Sisbrace com três bolas, a exemplo de grandes praças da região Sudeste, como Pacaembu e Vila Belmiro.

Já o Nhozinho Santos vive uma situação curiosa. O estádio segue interditado desde o ano passado, quando o Ministério Público do Maranhão (MP-MA), por meio da Promotoria do Consumidor, em parceria com o Corpo de Bombeiros, fizeram uma vistoria no local e constataram várias irregularidades.

Nhozinho Santos foi interditado em outubro do ano passado, mas já estava sem receber jogos (Foto: Arquivo )

Mesmo sem receber jogos desde o Estadual do ano passado, o Gigante da Vila Passos ainda ganhou duas bolas, e não a avaliação mínima, que seria apenas uma. O Ministério dos Esportes não informou a data em que foram feitas as vistorias. O estádio Frei Epifânio, que fica em Imperatriz, também foi avaliado e ganhou três bolas. Já o Renê Bayma, em Codó, teve apenas uma bola.

O sistema de classificação tem validade de três anos, podendo os gestores dos estádios solicitarem nova avaliação antes do termino desse período. E, ainda este ano, está previsto o início de uma nova fase de análises do Sisbrace, que irá classificar mais 140 estádios.

Castelão recebeu três bolas e apareceu na pesquisa como João Castelo (Foto: Reprodução / Ministério dos Esportes )

Sistema de classificação

Os três requisitos de classificação do Sisbrace foram divididos em Mandatários – referentes aos fundamentos estabelecidos em lei – e Eletivos para aqueles que acrescentam qualidade aos estádios. O primeiro deles trata da segurança e inclui os aspectos de engenharia e analisa o sistema estrutural, de coberturas, instalações sanitárias e elétricas, equipamentos, além de segurança pública e prevenção de incêndio e pânico.

Já em relação às questões de conforto e acessibilidade, o critério estabelecido analisou aspectos como conforto térmico, acústico, de iluminação e serviços, infraestrutura e visual. Bem como os itens de orientação espacial, comunicação, deslocamento e utilização do espaço, e acessos às pessoas com deficiência, com mobilidade reduzida, obesos e idosos.

Por fim, para os itens de vigilância sanitária, foram analisados os serviços de alimentação, infraestrutura das instalações sanitárias e de saúde, sempre em conformidade com as normas sanitárias vigentes no país.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.