Cantor Gusttavo Lima vai responder judicialmente por crime ambiental em Goiás

 

O cantor Gusttavo Lima foi indiciado pela Polícia Civil de Goiás nesta quarta-feira (28/2). O artista está sendo acusado de aumentar a represa de sua fazenda em Bela Vista de Goiás, Região Metropolitana de Goiânia, mas sem ter licença. Desse modo, a ação do artista configura crime ambiental.

Segundo a Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema), o projeto estava sendo concretizado sem a devida autorização da Secretaria de Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos (Secima). A represa do cantor possui três hectares, sendo que o objetivo era aumentá-la para mais um.O Batalhão Ambiental esteve no local duas vezes em 2017 e encontrou máquinas trabalhando na área. “Foram feitas duas ocorrências e, apesar de terem um protocolo com o pedido de licença, o documento não havia sido expedido”, enfatiza Luziano de Carvalho, responsável pelo caso, ao portal Notícias ao Minuto. Para ele, contudo, a ampliação da represa pode ter sido motivada por lazer, uma vez que não há criação de gado na fazenda.

Em nota, a assessoria do cantor nega a acusação. “As obras feita realizadas na fazenda até o momento, foram feitas de acordo com a legalidade, a parte de limpeza e pasto tinham licença. O responsável pelo obra, mesmo sem ter sido chamado foi a delegacia prestar depoimento , nesta mesma data foram solicitados vários documentos, os mesmos já foram entregues”, escreveu.

Confira a nota na íntegra:
Conforme falamos ao telefone o advogado de Gusttavo Lima não teve informação sobre conclusão do inquérito, mesmo porque não foi feita uma perícia técnica que pudesse comprovar as irregularidades mencionadas.

As obras feita realizadas na fazenda até o momento, foram feitas de acordo com a legalidade, a parte de limpeza e pasto tinham licença. Em 18/12/2017 após estudos técnicos feitos pela equipe contratada pelo cantor, foi protocolado pedido de licença junto a Secretária do Meio Ambiente de Goiás ( conforme comprovante anexo). Desde então, a parte da obra referente a esta licença foi paralisada, aguardando liberação.

O responsável pelo obra, mesmo sem ter sido chamado foi a delegacia prestar depoimento , nesta mesma data foram solicitados vários documentos, os mesmos já foram entregues.

Em resumo, não há nenhum tipo de obra referente a ampliação da represa em curso, e só será feita mediante a liberação da licença dos órgãos competentes. Vale ressaltar que, não houve negativa da Secretária de Meio Ambiente, porque o pedido ainda esteja sendo avaliado.

 

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.