Brasil vence a Colômbia e conquista Copa América Feminina

Neste domingo (22), a Seleção Feminina conquistou o heptacampeonato da Copa América. Com o título garantido antes mesmo da bola rolar, o Brasil fechou a brilhante campanha com chave de ouro ao superar a Colômbia por 3 a 0 no Estádio La Portada, em La Serena, no Chile. Os gols brasileiros foram marcados por Mônica (2) e Formiga.

Com 100% de aproveitamento, a equipe comandada pelo técnico Vadão não deu chances às adversárias, faturou o troféu do torneio e garantiu presença nas Olimpíadas de 2020 e na Copa do Mundo 2019.

A Seleção Brasileira estará nas três Copas do Mundo Feminina dos próximos anos: na Sub-20 e na Principal, na França, em 2018 e 2019, e na Sub-17, no Uruguai, este ano. O Brasil foi campeão das três categorias: em janeiro, no Equador, com a Sub-20, em março, na Argentina, com a Sub-17, e em abril, no Chile, com a Principal.

O JOGO

Após a vitória do Chile diante da Argentina na abertura da rodada, a Seleção Brasileira entrou em campo com o título assegurado. Empolgado pelo heptacampeonato, o Brasil voltou a premiar os torcedores com um futebol envolvente. Aos 20 minutos, Debinha ficou muito perto de abrir o placar, mas a zaga salvou em cima da linha. Nove minutos depois, porém, as colombianas não conseguiram impedir o gol brasileiro. Após cobrança de falta levantada na área, Mônica fez de cabeça, 1 a 0.

A Colômbia tentou responder em chute de longa distância, aos 35, mas a bola explodiu no travessão. No último lance do primeiro tempo, Formiga marcou um golaço e ampliou a vantagem brasileira. Após cobrança de escanteio e desvio na primeira trave, a camisa 8 emendou um belo voleio e estufou as redes, 2 a 0.

A Seleção Brasileira manteve o domínio das ações na etapa final. Valorizando a posse de bola, o Brasil evitou qualquer tipo de reação das adversárias. Aos 10 minutos, Marta quase deixou o dela, mas parou na boa defesa da goleira, que espalmou para escanteio. Aos 15, Debinha também assustou, ficou na cara do gol, mas finalizou para fora. Aos 26, Mônica repetiu a dose e fechou o marcador para o Brasil. A zagueira-artilheira aproveitou cobrança de falta de Marta e deu números finais ao jogo: 3 a 0.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.