Bandeira descarta: Flamengo não jogará final da Taça Guanabara no Maracanã com o Fluminense


Eduardo Bandeira de Mello, presidente do Flamengo.
Eduardo Bandeira de Mello, presidente do Flamengo. – Gilvan de Souza / CR Flamengo

RIO DE JANEIRO – Ainda que o Flamengo trabalhe para voltar a usar o Maracanã em breve, é improvável que o estádio seja usado no próximo domingo, em que o Rubro-Negro jogará a decisão da Taça Guanabara diante do Fluminense. Em entrevista para a emissora Fox Sports o presidente Eduardo Bandeira de Mello revelou que o plano do clube é usar o Maraca a partir da estreia na Libertadores, no dia 8 de março, em confronto contra o San Lorenzo, da Argentina.

“Muito difícil. Melhor não alimentar esperanças. Estamos trabalhando sério para que se faça uma bela festa na quarta-feira. Fla-Flu domingo no Maracanã acho que é muito difícil. Não existem nem a aprovação ainda das autoridades policiais”, comentou o presidente.

Sem o Maraca, a ideia é que o duelo seja realizado no Engenhão, e o dirigente também rechaçou a hipótese de que o mando seja transferido para fora do estado do Rio de Janeiro: “Acho difícil que seja fora do estado. O regulamento fala em Maracanã, e se ele não estiver disponível, a opção seria o Engenhão”.

Ao longo da semana, as diretorias Rubro-Negra e Tricolor se reunião com a FERJ, a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro, na intenção de, além de definir o estádio para realização da final, decretar se a partida terá torcida única ou mista. E o mandatário flamenguista é a favor que de ambos os clubes possam levar seu torcedor para a decisão.

“Flamengo e Fluminense estão em contato permanente e o que todos nós queremos é que o Fla-Flu se realize com torcida mista. Nunca aconteceu um Fla-Flu com torcida única e espero que nunca aconteça”, disse.

Ainda que a tragédia ocorrida durante o clássico diante do Botafogo possa pesar para uma decisão de torcida única, Bandeira acredita que o clima tranquilo no duelo contra o Vasco é um trunfo para que a ocupação mista seja liberada.

“Tendo o clássico com o Vasco tendo transcorrido em ordem, sem problema nenhum, eu espero que o juiz vá reconsiderar, pelo menos para esse jogo essa questão da torcida única para que façamos uma bela festa”, concluiu.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.