Após barrar denúncia, governo vai adotar discurso conciliador

 

Tentativa é unir a base aliada, sem retaliações aos dissidentes

 

BRASÍLIA

 Vencida a denúncia contra o presidente Michel Temer, o governo agora vai adotar um discurso conciliador para unir a base aliada, votar as reformas e “virar a página”, sem retaliações aos aliados infiéis. Apesar do incômodo gerado por infidelidades detectadas, o discurso do presidente é de que é preciso reconstituir a base aliada para a concretização do carro-chefe da gestão: a reforma da Previdência.

— Não há clima de retaliação no governo. Superada a votação, viramos a página — afirmou um assessor do governo.

O clima menos belicoso em relação aos infiéis é justamente por causa das reformas que Temer quer aprovar. O recado é direcionado principalmente ao PSDB, que votou rachado e ainda discute se continua ao lado de Temer. Apesar disso, os tucanos são o melhor exemplo de legenda que tem o compromisso de aprovar as reformas.

 

O presidente sabe que esse apoio será essencial para a sobrevivência de seu governo até 2018 e, por isso, não pretende, ao menos agora, fazer uma dança das cadeiras na Esplanada dos Ministérios.

 

Quem pode sair perdendo é o centrão, que se manteve ao lado de Temer em troca de emendas e cargos. Apesar do apetite do grupo por mais espaço, o governo diz que não deve ocorrer mudanças substanciais em ministérios, mas que isso será julgado caso a caso.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

FONTE: O GLOBO

 

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.