A polêmica entre taxistas e motoristas do Uber

uber_taxi-1024x686

A briga entre o Uber e os taxistas parece estar longe de ter um fim. Os criadores alegam que o objetivo do aplicativo é conectar passageiros a motoristas particulares proprietários de carros. A categoria dos taxistas, por sua vez, afirma que se trata de um app ilegal.

Desde a sua fundação, em 2010, a empresa tem causado a ira dos taxistas das cidades onde funciona. Grandes protestos de taxistas a favor do banimento do Uber paralisaram cidades como Londres, Paris, Rio de Janeiro e São Paulo.

A ideia do Uber é bem simples: ajudar quem precisa se locomover pela cidade a encontrar algum carro que a leve ao destino. Por meio do aplicativo, o usuário pode pedir um motorista particular.

Custando em média 5% a mais do que os táxis convencionais, toda a transação é feita pelo app, desde o cálculo de preço pelo trajeto percorrido, até o pagamento por cartão de crédito – que fica cadastrado no sistema da empresa.  Os motoristas ficam com 80% do valor e o Uber com o restante (20%).

Para os taxistas, o Uber deve ser proibido, já que não possui uma lei específica e não está sujeito as regulamentações que os taxistas são obrigados a cumprir.

Isso se agrava ainda mais já que algumas cidades, como o Rio de Janeiro, não fornecem mais o alvará. Quem quiser trabalhar legalizado, precisa herdar ou comprar a licença de outro taxista. Em alguns casos, o custo ultrapassa a casa dos R$ 100 mil.

Em contrapartida, o Uber criou um sistema próprio para ‘regular’ a atividade de seus motoristas. Para se cadastrar no Uber como motorista é preciso ter uma carteira com licença para exercer atividade remunerada, ter seguro que cubra o passageiro e o carro precisa ser sedã comprado a partir de 2009. É feita ainda a checagem de antecedentes criminais.

Os usuários também são envolvidos nesse processo. Ao concluir o pagamento, os passageiros são convidados a fazer uma avaliação. Motoristas que são classificados com menos de quatro estrelas são barrados pela empresa.

Os cidadãos ficam no meio desse embate em busca de um serviço de transporte de qualidade.

você pode gostar também Mais do autor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.